Da Redação

O formiguense Ariálisson Freitas lançará no dia 28 deste mês o livro “O Mistério da Mata da Alpineia – Laços de Sangue”. O lançamento ocorrerá no Sarau de Inverno do Clube Literário Marconi Montoli (CLMM).

O evento será realizado na sede do CLMM, à rua George Khouri, 670, bairro Santo Antônio.

“O Mistério da Mata da Alpineia – Laços de Sangue” é a primeira obra de Ariálisson e foi publicada por meio de financiamento coletivo. A obra foi oficialmente lançada no dia 16 de abril, na Bienal do Livro de Minas, em Belo Horizonte.

O livro conta a história de Pedro, um menino da zona rural que vai buscar conhecimento em uma escola da cidade. Além de chamar atenção por morar perto da Mata da Alpineia, um lugar perigoso para os visitantes, o garoto se destaca por não ter uma das pernas. Enfrentando a ‘zoação’ dos colegas, Pedro tem de lidar com um segredo que irá mudar sua vida para sempre.

A obra trabalha temas como folclore, natureza, bulling, família e amizades e é destinada ao público infanto-juvenil. Para criar as personagens, Ariálisson pesquisou o folclore brasileiro com a finalidade de construir o mundo fantástico da Alpineia. “Eu faço parte de uma geração órfã de Harry Potter, que teve contato com o Sítio do Picapau Amarelo na infância. Essas são as minhas principais referências, daí a vontade de escrever para o público jovem”, explica o autor.

Os interessados poderão adquirir além da versão impressa do livro, marcadores, botons, camisetas, canecas e um conto adicional da história. O projeto pode ser apoiado acessando o link catarse.me/matadaalpineia.

O CLMM convida a todos a participarem do evento. Os interessados poderão apresentar textos além de alegrar a noite com instrumentos musicais. Mais informações sobre o sarau pelo telefone (37) 99923- 8122.

O autor

Ariálisson Freitas é graduado em Letras pelo Unifor-MG, atualmente mora em Belo Horizonte onde é secretário executivo da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou como organizador e colaborador na antologia “Letras”, publicada em 2007, com a crônica “Matemática das Goiabas”.

Comentários