Uma pesquisa recente da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) analisou em laboratório a perda mineral em dentes humanos após a exposição a bebidas isotônicas. A conclusão foi que quem toma essas bebidas com frequência corre sério risco de ter erosão dental por serem tão ou mais ácidas do que refrigerantes
O estudo comparou alguns tipos de Gatorade com água destilada. Todos os líquidos e alimentos com pH abaixo de 5,5 podem ser nocivos para o esmalte dental. Depois que esses líquidos são ingeridos, a saliva tem a função de neutralizar o processo de desmineralização. Mas, quando o consumo é contínuo, a neutralização não acontece.
De acordo com especialistas, o problema está no fato de os isotônicos serem consumidos em pequenas quantidades e intervalos pequenos, a saliva não dá conta de reverter o processo de desmineralização. Enquanto o pH fica inferior a 5,5, os dentes estão perdendo cálcio e fosfato.
A recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é que isotônicos sejam consumidos só por atletas e com orientação de um especialista. As embalagens dos produtos devem trazer um alerta quanto ao consumo específico, mas a agência não diz nada sobre a acidez da bebida.

Comentários