Belo Horizonte vacinou 2.843 crianças com comorbidades, deficiência permanente, indígenas ou quilombolas de 5 a 11 anos, nesse sábado (15), segundo a prefeitura da capital.

“Com o quantitativo remanescente, o município já iniciará ações de repescagem em instituições de ensino. A estratégia foi definida para que o grupo não fique em contato direto com pacientes que apresentam sintomas respiratórios e que estão sendo atendidos nas unidades de saúde”.

Respecagem 

Nesta segunda-feira (17) e na terça-feira (18) será realizada repescagem com o público. As aplicações serão realizadas em nove escolas, uma em cada regional da cidade. Na segunda, as aplicações serão entre 10h e 17h  e na terça entre 9h e 16h. Os locais onde vão ocorrer as aplicações podem ser consultados clicando aqui.

“A Secretaria Municipal de Saúde reforça que é imprescindível a vacinação contra a Covid-19, já que esta é a medida mais eficaz no combate à infecção pelo Sars-CoV-2. Nos dias de repescagem, a criança com comorbidades, deficiência permanente, indígenas ou quilombolas, deve estar acompanhada de pais ou responsáveis e apresentar documento de identificação com foto ou certidão de nascimento, CPF, comprovante de endereço e cartão de vacina. Caso o acompanhamento seja por terceiros, haverá a necessidade de apresentar o termo de autorização de para vacinação, disponibilizado no portal da prefeitura, devidamente preenchido e assinado pelos pais ou responsáveis”, ressalta o executivo. 

Fonte: O Tempo

Comentários