Para coibir fraudes nos exames práticos para a concessão das carteiras de habilitação, o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) determinou que as autoescolas de Belo Horizonte registrem a presença dos alunos nas aulas de rua por meio do sistema biométrico. A medida é adotada para turmas teóricas desde 2008 e começou a valer nesta segunda-feira (13) para os treinos práticos.
A biometria é um sistema de identificação por meio da impressão digital. Com a nova regra, o aluno deve ir à autoescola antes e depois de cada aula para registrar presença – a nova regra põe fim à velha prática de buscar o aluno em casa.
Os candidatos que já estavam fazendo aulas práticas não vão precisar comprovar as aulas pelo novo sistema. Mas os centros de formação de condutores (CFCs) já estão em período de adaptação e têm até 3 de outubro para ajustar o programa.
O novo sistema vai facilitar o controle de assiduidade nas aulas práticas feito pelo Detran-MG, que terá acesso online aos dados registrados nos CFCs. Esse sistema serve para mostrar que o aluno está cumprindo toda a carga horária, inclusive os 20% de aulas noturnas obrigatórias, explicou o chefe de habilitações do Detran-MG, delegado Anderson França.
Cada aula prática dura 50 minutos. Antes de ser submetido ao exame, o candidato precisa cumprir 20 horas/aulas. Além disso, desde abril, uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) exige a realização de um quinto nas aulas entre 18h e 6h.
Onde vale
Durante 50 dias, o sistema foi testado por três autoescolas da capital. Até o fim do ano, a determinação será estendida para toda a região metropolitana. A partir do ano que vem, o sistema chega aos 1.899 CFCs do Estado.
Ontem, o estudante Matheus Lima de Oliveira, 18, fez sua primeira prática de rua. Ele não se importou de ter que se deslocar até o local para iniciar a aula. Para mim não há problema porque eu faço cursinho perto da autoescola, afirmou.
Por enquanto, o uso obrigatório da biometria para registro das aulas está restrito a candidatos à carteira do tipo B (carros de passeio). Mas o Detran-MG estuda estender a medida para as demais categorias.
No caso de motos, caminhões, ônibus e outros veículos de carga, será preciso instalar o sistema biométrico nos próprios veículos – por causa da dificuldade de transporte dos veículos ou da existência de área específica para as aulas. A medida possibilitará o acompanhamento via sistema de posicionamento global (GPS).

Comentários