O recente estudo conduzido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontou que o impacto do programa Bolsa Família nas últimas eleições presidenciais foi bastante superior ao gerado pelo desempenho da economia. Segundo os dados, o programa foi responsável pelo aumento de aproximadamente três pontos percentuais na votação do atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva no segundo turno das eleições presidenciais de 2006, ficando acima da repercussão do crescimento do PIB, que ficou com 0,34 ponto percentual.
Com o efeito do programa Bolsa Família, a votação de Lula elevou-se em todos os municípios, mas o aumento foi maior justamente naqueles em que o seu desempenho foi relativamente pior em 2002. Seu eleitorado, que tradicionalmente se concentrava nas zonas urbanas, migrou para regiões mais pobres em 2006. Para produzir o levantamento, foram consultados dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ? para as variáveis eleitorais ? do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ? para as variáveis geográficas, demográficas e sócio-econômicas e do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) ? para informações sobre a cobertura do programa Bolsa Família.
O Programa visa atender famílias em situação de pobreza (com renda mensal por pessoa de R$ 69,01 a R$ 137,00) e extrema pobreza (com renda mensal por pessoa de até R$ 69,00), no qual são contempladas com benefícios variáveis de com a renda mensal por pessoa da família e o número de crianças e adolescentes até 17 anos. O Bolsa Família atende mais de 11 milhões de famílias em todos os municípios brasileiros, contribuindo para a redução da extrema pobreza e da desigualdade.

COMPATILHAR: