O Ministério da Saúde revelou nesta sexta-feira (9) que as projeções para 2024 indicam que o país poderá chegar a marca de 4,2 milhões de casos de dengue no ano. A estimativa foi revelada pela secretária de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Ethel Maciel.

“Estamos vendo uma antecipação de casos que não tínhamos visto nas outras epidemias de dengue. Em geral, o crescimento de casos é no fim de março e começo de abril, mas começamos a ver já em janeiro”, explicou a secretária.

Ainda de acordo com a secretária do Ministério da Saúde, o trabalho que está sendo feito pela pasta é para que a situação não se concretize. Mesmo assim, a pasta se prepara para o pior cenário que marcaria um recorde de casos da doença no país.

No último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou 395.103 casos prováveis de dengue, com 53 mortes confirmadas pela doença e outras 281 em investigação. O estado com a maior incidência de casos é Minas Gerais, com 136.604 casos prováveis da doença.

Vacina a caminho

Na quinta-feira (8) o Ministério da Saúde começou a distribuir as doses de vacina contra a dengue que chegaram ao país em janeiro. A expectativa é que o imunizante chegue em todas as 521 cidades consideradas prioritárias até o final de março. “Estamos vendo uma antecipação de casos que não tínhamos visto nas outras epidemias de dengue. Em geral, o crescimento de casos são no fim de março e começo de abril, mas começamos a ver já em janeiro”, disse Ethel Maciel.

No Distrito Federal e no estado de Goiás as doses da vacina já chegaram. Em Brasília, a campanha de imunização já começou nesta sexta-feira, com doses destinadas a crianças de 10 e 11 anos.
A primeira remessa de vacinas contra a dengue, com 757 mil doses, chegou ao Brasil em 20 de janeiro. O lote faz parte de um total de 1,32 milhão de doses fornecidas pela farmacêutica japonesa Takeda. Outra remessa, com mais de 568 mil doses, está com entrega prevista para fevereiro.

O Ministério da Saúde também adquiriu o quantitativo total disponível pelo fabricante para 2024: 5,2 milhões de doses. De acordo com a empresa, a previsão é que sejam entregues ao longo do ano, até dezembro. Para 2025, a pasta já contratou outras 9 milhões de doses. A ideia do Ministério da Saúde é produzir essa vacina no Brasil com o apoio da Fiocruz.

A vacina é aplicada em duas doses, com um intervalo de três meses. Por conta da limitação do número de doses, a vacina será aplicada, inicialmente, apenas na população de regiões endêmicas.

Fonte: Itatiaia

 

 

 

 

COMPATILHAR: