A mineira Letícia Maia, de 21 anos, que foi “recrutada” pela influenciadora Kat Torres e chegou a ser presa nos Estados Unidos, retornou ao Brasil e se encontrou com a família. A informação sobre a volta dela ao país foi confirmada ao g1 pelo pai dela e também pelo advogado da família, Luiz Henrique Santana.

Natural de Perdões (MG), Letícia chegou a ser considerada desaparecida pela família por oito meses após ter ido aos Estados Unidos. Nos EUA, ela aparecia nas redes sociais trabalhando com Kat Torres e chegou a dizer que escapou de cativeiro. O pai da mineira disse ao g1 que Letícia voltou ao país na última semana e que ela, agora, “precisa de um tempo para se recuperar de tudo que passou“.

Estamos viajando, ela precisa de um tempo pra recuperar de tudo que passou. Assim que tivermos condições vamos falar com vocês“, falou o pai à reportagem.

A brasileira foi presa nos EUA no início de novembro. Os nomes dela e das também brasileiras Katiuscia Torres (Kat Torres) e Desirrê Freitas constavam na lista de pessoas presas no Condado de Cumberland, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. O motivo da prisão não havia sido divulgado na ocasião, mas foi confirmado, posteriormente, ser por problemas na documentação.

Kat Torres foi encaminhada ao Brasil e presa preventivamente em Belo Horizonte em novembro. Ela é alvo de uma série de denúncias, entre elas estelionato e tráfico humano.

 

Influencers Katiuscia Torres e Desirrê Freitas e a mineira Letícia Maia; nome das brasileiras apareceu em lista de detidos nos EUA Foto: Reprodução/redes sociais

 

A influenciadora Kat Torres se apresenta como coach e guru espiritual com milhares de clientes pelo mundo e passou a ser alvo de investigação depois que as famílias de duas brasileiras que viviam com ela denunciaram o desaparecimento das jovens.

Advogado fala sobre o caso
Luiz Henrique Santana é o advogado da família de Letícia Maia. Em contato com o g1, ele destacou que a mineira não responde a crimes nem nos EUA e nem no Brasil. O advogado também destacou que a cliente era vítima do modo de agir de Kat Torres.

Santana revelou que Letícia não foi extraditada ao Brasil e que foi liberada da prisão dos EUA, retornando ao país posteriormente.

[Ela está no Brasil] desde a semana passada. Ela está em viagem com a família, descansando e matando saudade. Ela foi liberada [da prisão], não foi extraditada, foi saída voluntária. Ela não responde a nenhum crime lá [nos EUA] e até a presente data também não responde no Brasil“, falou ao g1.

O advogado salientou, ainda, que não pode dar mais detalhes sobre o inquérito que investiga o caso, pois o mesmo está em segredo.

Mas posso adiantar que a Letícia era vítima também“, disse.

Entenda
A história de Letícia Maia, de 21 anos, ganhou repercussão nas redes sociais, em outubro, após ela publicar um vídeo dizendo que havia fugido de um cativeiro nos EUA, mas que a amiga e influenciadora Desirrê Freitas continuava no local.

Letícia estava nos Estados Unidos desde 2019, quando viajou para o país para participar de um intercâmbio. A família dela acreditava que a jovem estava desaparecida. O último contato presencial que os pais tiveram com a filha havia sido em abril deste ano.

Na internet, Letícia aparecia trabalhando nos Estados Unidos com a influenciadora e coach Kat Torres.

Os pais da menina acreditam que Leticia foi aliciada a integrar uma seita comandada por Kat Torres que, supostamente, estava incentivando meninas brasileiras a irem para os Estados Unidos. A família acredita ainda que a jovem estava sendo ameaçada pela coach.

 

Foto: Reprodução / Redes Sociais

 

No vídeo que ganhou repercussão, Letícia também acusou a atriz e modelo Yasmin Brunet de tráfico humano, sem qualquer prova.

A relação de Yasmin com a história teria começado após a modelo comentar em lives feitas por Letícia sobre o direito que a jovem tinha de ficar em silêncio sobre os supostos abusos que teria sofrido.

Depois dos comentários de Yasmin Brunet, Kat Torres passou a criticar a modelo, e Letícia acusou Yasmin de comandar um esquema de prostituição nos Estados Unidos.

 

Fonte: G1

 

 

COMPATILHAR: