Um cachorrinho de raça não definida de São Lourenço (MG) quase matou de susto os tutores e amigos depois de desaparecer e ir parar na Basílica de Aparecida, no interior de São Paulo.

O Cowboy é um cachorrinho do tipo atleta, bem aventureiro e que gosta de uma corrida matinal todos os dias. Diariamente ele fica na porta dos vizinhos esperando para ir para os treinos.

“O Cowboy é vizinho nosso. Desde pequeno ele está aqui e a gente sempre treina diariamente e o Cowboy gostava de ver a gente treinar, até que um dia resolver acompanhar. E a gente foi para ver até onde ele aguentava, e ele chegou a correr 10 km, 15 km, faz parte da nossa rotina. A gente abre mão de nossos treinos mais longos pra poder fazer o treino junto com ele”, disse o vendedor Juliano de Souza.

O tutor do Cowboy é o João Forasteiro, que adotou o cachorrinho quando ele ainda era filhote. Ele conta que Cowboy sempre gostou de uma aventura.

“Desde pequenininho, assim recém-nascido, bem novinho, menos de 1 ano, eu levava ele para subir umas montanhas comigo, acampar, ele andava de barco”, disse o tutor.

Certo dia o Cowboy desapareceu, não foi treinar e todo mundo ficou preocupado. Só depois que foi descoberto que o cachorro decidiu acompanhar romeiros que passavam por São Lourenço até a Basílica de Nossa Senhora, em Aparecida (SP). Foram ao todo, 113 km de caminhada.

“Já fazia uns quatro dias que ele estava desaparecido, aí fui no Juliano para saber onde ele estava, aí rodei a cidade procurando ele não encontrei. Aí passou uns minutos ele mandou mensagem pra mim dizendo: ‘Você não acredita, o Cowboy está indo para Aparecida do Norte”, disse a Maria Cristina Forasteiro, tutora do Cowboy.

Como bom “cãopanheiro”, Cowboy fez a alegria de todos os integrantes da romaria, na ida e na volta.

“Viajei 10 dias a cavalo, 60 km por dia e no quarto dia da viagem encontrei com o Cowboy em São Lourenço e à noite já fiz uma amizade imensa com ele. Aonde que eu dormia no quarto, ele dormia de fora na minha porta, eu tinha uns biscoitos de polvilho na bolsa, dava pra ele, ele adorava biscoito de polvilho. Foi meu companheiro de viagem”, contou o organizador da romaria, Breno Cavaleiro.

Depois da romaria, os tutores tiveram que buscar o danadinho em Lima Duarte (MG), que fica a 250 km de São Lourenço.

“Tava bem cuidado, até agradeço o Breno, a família dele que tratou do Cowboy muito bem e dele ter levado pelo menos para Lima Duarte, pra não ficar perdido lá em Aparecida”, disse a tutora.

O retorno de Cowboy para casa foi de muita emoção para os amigos. “Foi lá em Aparecida Cowboy? Nós ficamos preocupados com você Cowboy, você é muito louco Cowboy”, disse o vizinho Juliano.

Tudo indica que o Cowboy vai continuar fazendo jus ao sobrenome da família dos tutores: forasteiro. Um cachorro aventureiro, ou quem sabe, um pagador de promessas?

“Acho que ele foi pagar promessa para arrumar namorada, ele só tenta, mas ainda não arrumou não”, disse a tutora do Cowboy.

“O cachorro é especial demais. Eu só tenho a agradecer por ter estado com esse cachorro, foi meu amigo mesmo”, completou o organizador da romaria.

Fonte: Tapiraí TV

 

COMPATILHAR: