A criação de empregos formais em Minas Gerais atingiu a maior marca para um mês de outubro desde o começo dos levantamentos mensais feitos a partir do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Isso é o que afirma a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico.
Tal expansão decorreu do crescimento nos setores de Serviços (+8.095 empregos), Indústria de Transformação (+7.834 empregos), Comércio (+6.995 empregos) e Construção Civil (+4.474 empregos). Embora tenha crescido 1,13%, a indústria extrativa mineral ainda não retomou todo o seu potencial e em outubro contratou apenas 548 empregados. O desempenho do mês só não foi melhor, assim como em julho, agosto e setembro, porque foi influenciado pelo comportamento do setor agropecuário (-12.007 postos), ou seja, queda de 3,92%.
Já nos últimos 12 meses, verificou-se queda de 0,19% no nível de emprego, ou seja, menos 6.592 postos de trabalho, resultado influenciado pela crise internacional. Apenas em outubro de 2009, a geração de empregos celetistas apresentou uma expansão de 0,45% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada em setembro no Estado.
Os dados do Caged informam que o emprego formal criou, em Minas Gerais, nos dez primeiros meses do ano, 115.391 postos de trabalho, indicando que, em 2009, houve um crescimento de 3,38%. O percentual é superior à media nacional, que subiu 0,70%. Em termos absolutos, o Estado continua apresentando o segundo melhor desempenho da Região Sudeste e do país, sendo superado apenas pelo Estado de São Paulo, com 399.092 novos empregos criados com carteira assinada.

Regiões Metropolitanas
O conjunto das nove áreas metropolitanas medidas apresentou desempenho recorde em outubro (103.316), com saldo recorde em Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Curitiba e Belém. A Região Metropolitana de Belo Horizonte registrou acréscimo de 11.422 empregos formais (+0,84%). Este foi o melhor desempenho de toda a série histórica do Caged para o período.
Em números absolutos, os principais resultados aconteceram nas Regiões Metropolitanas de São Paulo (40.317) e Rio de Janeiro (13.936), que registraram o segundo maior saldo do período.
Entre as cidades mineiras que proporcionalmente mais criaram emprego estão Ipatinga, Uberaba, Muriaé, Itabira, Divinópolis, Nova Lima e Montes Claros. Embora a capital Belo Horizonte tenha apresentado saldo recorde em outubro, com a contratação de 6.864 trabalhadores, seu percentual de crescimento foi de 0,74%, bem abaixo de Ipatinga que registrou alta de 2,46%.
Os números do Caged indicam que em outubro, foram gerados no Brasil 230.956 novos postos de trabalho, aumento recorde de empregos com carteira assinada, em relação ao mesmo período dos anos anteriores. O saldo de 2009 chega a 1.163.607 novas vagas de emprego, ultrapassando a marca de um milhão de empregos prevista pelo Ministério do Trabalho e Emprego desde o início do ano. Com o resultado, o Brasil alcança a inédita marca de 33.156.909 trabalhadores empregados com carteira assinada no país.

Comentários
COMPATILHAR: