A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe está programada para ter início no dia 16 de abril. Ela é realizada geralmente nos meses que antecedem o inverno, período de maior incidência da doença. Nesta sexta-feira (23), a Secretaria de Estado de Saúde divulgou os primeiros casos da chamada Síndrome Respiratória Aguda Grave, causada pelo vírus da gripe ou Influenza em Minas Gerias.

Até agora foram 221 casos notificados, sendo que 130 tiveram amostra coletada e os exames indicaram oito contaminações por influenza e 14 como outros vírus respiratórios. Dos casos associados ao Influenza, seis eram Influenza A e dois Influenza B. Naqueles em que foi identificado o vírus A, o subtipo A/H3 sazonal é o de maior proporção, com 100%.

Os casos de SRAG por Influenza apresentaram uma mediana de idade de 78 anos, variando de 0 a 87 anos. Em relação à sua distribuição, o município com maior número de casos de SRAG por Influenza no Estado foi o de Belo Horizonte (4 casos Influenza A/ H3 Sazonal), seguido de Uberlândia (1 caso Influenza A H3), Varginha (1 caso Influenza A H3), Juiz de Fora (1 caso Influenza B) e Lagoa Santa (1 caso Influenza B).

Até o momento, nenhuma morte por Influenza foi registrada.

A doença

No Brasil e em Minas Gerais, a partir da pandemia de Influenza A/(H1N1) ocorrida em 2009, é que medidas de prevenção, controle e tratamento começaram a ser amplamente divulgadas pelas autoridades públicas. Segundo a SES-MG, até agora, não foram notificados no Estado surtos de Síndrome Gripal.

A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e à morte, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção como crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Os vírus Influenza são os mais frequentemente identificados nos casos de Síndrome Gripal (SG) e também nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), mas a infecção pela doença pode causar sintomas que se confundem com os encontrados em diversas outras infecções virais e bacterianas.

A Síndrome Gripal, manifestação mais comum da doença, se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga. Quando esses sintomas vêm associados a uma dificuldade respiratória com necessidade de hospitalização, o quadro apresentado é a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

A vacina é uma forma eficaz de combate. Estudos demonstram que a imunização pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.

Além da vacina, as ações de prevenção da transmissão da influenza incluem a etiqueta respiratória e a lavagem correta e frequente das mãos.

Em caso de sinais e sintomas compatíveis, procure a unidade básica de saúde mais próxima de casa. Os medicamentos antivirais são disponibilizados para todos aqueles que tiverem indicação do profissional de saúde.

 

Fonte: Hoje em Dia ||

Comentários
COMPATILHAR: