Por Priscila Rocha Últimas Notícias

Apesar da queda no índice de infestação do Aedes aegypti, Formiga continua com a taxa de incidência muito alta de dengue. O número de casos prováveis da doença passou de mil.

De acordo com o boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) na terça-feira (27), foram registrados 1.079 casos suspeitos. São 38 novos casos em uma semana.

No início do mês, a Secretaria de Saúde realizou o terceiro Levantamento de Índices Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) do ano, que indica o nível de infestação do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A pesquisa indicou uma queda de 1,8 de infestação colocando o município em médio risco, com índice de infestação predial de 2,9.

Trinta e um bairros da cidade apresentaram risco elevado de infestação, são eles: Alto da Praia, Alvorada, Bela Vista, Belvedere, Centro, Ércio Rocha, Explanada do Castelo, Jardim das Oliveiras, Jardim Minas Gerais, Mangabeiras, Nossa Senhora de Lourdes, Novo Horizonte, Novo Santo Antônio, Ouro Branco, Ouro Verde, Quinzinho, Recanto da Praia, Rosa Mística, Rosário, Sagrado Coração de Jesus, Santa Ana, Santa Luzia, São Luiz, São Sebastião, Saudade, Souza e Silva, Vila Ferreira, Vila Licínio, Vila Maria Cristina, Vila Padre RemacloFóxius e Vila São Vicente.

De acordo com o levantamento, 96% dos focos do mosquito transmissor da dengue foram encontrados em residências. “Estamos em um período de seca e frio, momento em que, provavelmente, era para apontar um índice baixo de infestação do vetor, mas o levantamento mostra o quanto a população ainda não se preocupa o suficiente com a prevenção que é simples e eficaz”, comentou o educador em Saúde, André Paixão.

Ações

As ações de combate ao Aedes aegypti e de conscientização da população serão intensificados no município. De acordo com a Secretaria de Saúde, os agentes de controle de endemias realizarão um trabalho diferenciado nos bairros nos quais o índice foi elevado. Além do tratamento focal, os servidores reforçarão as atividades educativas.

Serão realizadas ações como aplicação de inseticida (UBV Costal), mutirões de limpeza e cobrimento de caixas d’água destampadas.

Zika e chikungunya

Apesar do aumento no registro de casos prováveis de dengue, os casos de zika e chikungunya são baixos. Foram registrados no município um caso de zika e um foi descartado e dois de chikungunya.

Região

Entre as 53 cidades da Superintendência Regional de Saúde (SRS), com sede em Divinópolis,  Formiga está em sexto lugar no ranking de casos prováveis de dengue. Nova Serrana é a cidade com maior número de casos, com 4.435, seguida por Divinópolis com 4.088, Arcos com 3.508,

Pará de Minas com 2.731, Lagoa da Prata com 1.272 e Formiga com 1.079.

Além de Formiga, apenas Pará de Minas registrou novos casos.

Mortes por dengue

As cidades da SRS da região não registraram novos casos de morte por dengue. Ao todo, oito óbitos foram registrados: Arcos, Carmo do Cajuru, Lagoa da Prata, Pitangui, Pompéu e São Gonçalo do Pará, com uma morte cada, e Martinho Campos com duas.

Em todo o Estado, foram 125 óbitos, 121 mortes estão em investigação para dengue. 

Minas Gerais registrou 2.660 casos prováveis de chikungunya  e, até o momento, uma morte pela doença foi confirmada em Patos de Minas.  Até a data de atualização do boletim, 859 casos prováveis de zika foram registrados no Estado.  Pará de Minas lidera a lista de casos prováveis entre as cidades da SRS com oito casos, dois a mais que o registrado no último boletim.

Comentários
COMPATILHAR: