Um hospital britânico lançou um tratamento de reabilitação para adolescentes viciados em videogames, computadores e aparelhos de celular.
A administração do Hospital Capio Nightingale, no centro de Londres, disse que tomou a decisão de abrir esse serviço depois de ouvir diversos apelos de pais preocupados com o tempo que seus filhos dedicam a essas novas tecnologias.
Os serviços de saúde mental precisam se adaptar rapidamente às mudanças no mundo em que os jovens vivem, e entender o quão seriamente suas vidas podem ser prejudicadas por causa da falta de controle sobre o tempo que eles passam conectados à internet, diante da tela da TV ou jogando videogame, declarou Richard Graham, psiquiatra que comandará o serviço.
Segundo o médico, apesar de outras clínicas oferecerem atendimento para adolescentes, o foco no vício nessas novas tecnologias ainda é raro nos serviços psicológicos.
Quando a criança passa muito tempo viciada nessas novas tecnologias, diz o especialista, o usuário é comprometido tanto em termos de autoconfiança para enfrentar as demandas da vida no mundo real, quanto fisicamente, em decorrência de uma alimentação pobre e da falta de atividade física.
Atividades
Para reverter este problema, a reabilitação, que atenderá pessoas a partir de 12 anos, incluirá atividades individuais e terapias de grupo.
O objetivo principal será persuadir os pacientes a ampliarem suas atividades sociais e de lazer no mundo real, mantendo-se mais tempo distantes dos computadores e videogames.
O hospital espera ajudar os adolescentes a refletirem sobre sua relação com os equipamentos eletrônicos e sobre como mantê-los desligados.

Comentários
COMPATILHAR: