A televisão mudou muito. Não há termos de comparação entre aquilo que fez no passado e o que é possível realizar nos dias de hoje.

Lá atrás, gastava-se antes para sair atrás do dinheiro depois. Fazia-se apenas uma ideia do que iria ser gasto na produção de programas e até mesmo novelas, para só depois correr atrás do mercado comercial.

Daí aqueles cortes de despesas, inclusive pessoal, que invariavelmente as emissoras faziam, muitas das vezes até duas ou três vezes no mesmo ano, atingindo centenas de profissionais.

Hoje, de modo geral, trabalha-se com mais cuidado, os pés no chão. Os dois. As aventuras e pagamentos de salários astronômicos, aos poucos, foram desaparecendo, agora em um cenário muito mais condizente com a realidade. Não tem como ser diferente.

Por exemplo este próximo ano: ninguém ainda sabe como será. Entre anunciantes e diretores das grandes agências há a quase certeza de um período bem complicado.

Devagar e sempre deve ser a ordem. Para o bem de todos, sem grandes sobressaltos ou maiores aventuras.

 

Especulação

Depois de Nivaldo Prieto, João Guilherme e Edmundo, sobre o mesmo assunto, a montagem da equipe esportiva da Paramount, outros dois nomes bastante cotados são os de Zé Elias e Carlos Eugênio Simon.

Que ainda integram os quadros da Disney.

 

Outro lado

Diferentemente daquilo que funcionários demitidos informam, cuja versão já foi publicada por aqui, a CNN Brasil informa que as sacolas de presentes foram distribuídas só no dia 15 de dezembro, duas após as saídas dos que foram dispensados. Sacolas com produtos perecíveis.

Colocadas as partes.

 

Não volta mais

A não ser que a Globo um dia venha a desistir do “Who Wants to Be a Millionaire?”, o “Show do Milhão” não deverá mais retornar à programação do SBT.

Voltou e parou naquela edição comandada por Celso Portiolli. E não foi por falta de aviso.

 

Não é mais assim

Houve um tempo na televisão, não só aqui como a de fora, que a cópia literal ou adaptada de alguns formatos era a coisa mais natural desse mundo.

Nada era de ninguém.

 

Tempo passou

Só que isso deixou de ser assim há algum tempo. Um grande exemplo por aqui foi a “Casa dos Artistas”, que só surgiu depois de Silvio Santos ficar com o formato do “BBB” mais de um ano nas mãos e desistir de comprar na última hora.

Deu no que deu. Curioso é que, de vez em quando, alguém resolve querer driblar.

 

Quebrando tabus (1)

É bom que o tempo mudou muita coisa, inclusive na cabeça das pessoas e alguns tabus foram quebrados.

Mulheres trabalhando no esporte, futebol especialmente, com tamanha intensidade, foi uma das melhores novidades e grande avanço dos últimos tempos.

 

Quebrando tabus (2)

Hoje, a presença feminina à frente dos microfones e câmeras esportivas, como aqui já se destacou, não causa mais nenhuma estranheza.

E entre elas, assim como existiu entre os homens, há aquelas que se destacam mais. Ana Thaís Matos, por exemplo, é alguém que pela sua capacidade e trabalho, soube conquistar o respeito de todos. O seu bom desempenho na Copa do Catar deve ser destacado.

 

Foi que foi

João Côrtes, ator de vários trabalhos na TV, teatro e publicidade, trocou o Brasil pelos Estados Unidos.

Está morando em Los Angeles há quase dois meses, trabalhando para deslanchar a sua carreira profissional.

 

Nada impede

Osmar Prado não teve seu contrato renovado na Globo ao término de “Pantanal”.

Mas foi tudo conversado e ajustado em altos termos, tanto assim, que seu nome já aparece cotado para um novo trabalho das 19h. Compromisso por obra.

 

Está pronta

Os trabalhos da nova temporada de “Cilada”, do Bruno Mazzeo, já foram encerrados, para exibição agora, no começo do ano no Multishow e Globoplay.

Débora Lamm e Pedroca Monteiro são alguns destaques do elenco.

 

Deficiência

Algumas plataformas, e a Netflix surge como bom exemplo, sempre têm a preocupação de anunciar intensamente novas temporadas de algumas das suas séries de sucesso.

Mas outras não se dão a este trabalho. Fica para o assinante descobrir. Pouco caso.

 

Bate – Rebate

· “Travessia”. Ainda muito criticada por aqui, já tem vários interessados no mercado internacional…

· … Essa é uma que deve levar mais tempo para entrar no cardápio da Globoplay.

· Existem atores e atrizes que não erram: Vanessa Giácomo é sempre um exemplo…

· … Agora, está muito bem em “Travessia” como Leonor.

· Um outro detalhe do streaming que já deveria merecer melhor atenção de todos os serviços…

· … Hoje já temos produções de muitos países e diferentes idiomas…

· … Além da tradução, que sempre deve ser bem cuidadosa, ficaria muito bem também uma padronização no tamanho das letras…

· … E outra: mudança de cores quando se faz necessário…

· … Ler branco em cima de branco é complicado…

· … Aliás, este é um erro também antigo no cinema.

 

C´est fini

O “BBB” não é importante apenas para a TV Globo no primeiro semestre do ano. A realização do reality show de confinamento também passou a ter grande importância para o Multishow e Globoplay. É nesse período que esses veículos alcançam as suas maiores audiências – e faturamento.

 

Comentários
COMPATILHAR: