Algum tempo atrás, os consultórios de oftalmologia lotavam em épocas mais secas do ano, que propiciam o aumento da incidência de conjuntivite na população. Atualmente, é notória a quantidade de novos casos durante o ano inteiro, inclusive em estações mais úmidas, como o verão. Os motivos para esse aumento pode ser explicado pelo uso excessivo do computador e do ar condicionado, além da falta de higienização das mãos.
Uma vez contraída, é um tal de vermelho nos olhos inchados, que lacrimejam involuntariamente, aquela sensação incômoda nos olhos, que ficam sensíveis a luz. E essa doença, nada mais é, do que uma um processo inflamatório na conjuntiva, uma membrana que reveste a parte externa do olho.
Ela pode ser alérgica, viral ou bacteriana. Normalmente é contraída pelo contato físico com aqueles que estão infectados com a inflamação. Mas em locais comunitários, como ônibus e piscinas públicas, por exemplo, sua contaminação pode se dar por um simples contato de uma pessoa em um local em que um doente que contraiu a doença havia tocado.
Para o tratamento, é necessário um acompanhamento de um oftalmologista, uma vez que somente ele poderá diagnosticar a forma da infecção e sua profilaxia.

COMPATILHAR: