A partir de segunda (9), as contas de luz dos mineiros ficarão mais caras. O reajuste aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) foi de 3,85%, maior que o pedido pela Cemig ? que era de 3,05% de média. Em nota, a Aneel esclareceu que considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência.
O ajuste no preço é dividido de acordo com a classe de consumo. Para o consumidor de baixa tensão (residencial e comercial) o reajuste será de 3,88% e, para aqueles de alta tensão (setor industrial), 3,79%.
O pedido pela Cemig, abaixo da inflação, é o mais baixo desde 2008, quando a empresa propôs que o preço ficasse estável. Desde 2006, o reajuste autorizado havia sido menor do que o pedido pela distribuidora mineira
A Cemig tem 96% da área de concessão em Minas Gerais, com cerca de 7 milhões de consumidores. A empresa domina também o mercado de consumidores livres, com 25% do total.

Comentários
COMPATILHAR: