Um corpo encontrado em Ribeirão das Neves na noite de sexta-feira (26) foi identificado pela Polícia Civil (PC) como sendo o da dentista Adriana Duarte Oliveira, de 46 anos, que estava desaparecida desde a tarde de quinta-feira (25). 

A informação foi confirmada por Renata Brito, secretária do consultório de Adriana há mais de 20 anos, que teve a autorização da família para divulgar as informações. “É oficial. Ela se foi”, disse.

A irmã de Adriana esteve no IMLpara reconhecer e liberar o corpo da dentista. A familiar da vítima estava bastante abalada.

Na tarde desse sábado (27), a Polícia Civil (PC) confirmou a identificação do corpo da dentista.

“A identificação foi realizada no Instituto Médico-Legal André Roquette (IMLAR) por meio de Papiloscopia (impressões digitais). A causa e circunstâncias da morte serão investigadas pela Delegacia Especializada de Homicídios em Ribeirão das Neves”, informou a instituição.

O desaparecimento

Adriana foi vista pela última vez em seu carro, uma Mitsubishi Pajero prata, no bairro Santa Tereza, na região Leste de Belo Horizonte. O carro já tinha sido encontrado na sexta-feira (26) em uma rua sem saída em Ribeirão das Neves.

Na sexta-feira, Renata Brito explicou detalhes do ocorrido. “Saímos do consultório dela [na quinta-feira], que fica na avenida Padre Pedro Pinto, por volta das 13h, e fomos para a rua Mármore, no Santa Tereza, onde ela participaria de uma cirurgia. Quando terminamos, ela disse que ficaria por lá, pois iria resolver alguma coisa, e pediu que eu voltasse para o consultório de Uber, que ela pediu no celular dela”, conta Renata.

No dia seguinte pela manhã, a secretária foi trabalhar normalmente e, vendo que Adriana não tinha chegado apesar de ter um horário agendado com um paciente, voltou a procurar por ela.

“Mandei mensagem, mas ela não me respondeu. Liguei e o celular deu desligado. Fiquei preocupada e entrei em contato com a faxineira dela, que me falou que ela não estava no apartamento”, detalhou a secretária. Ainda de acordo com ela, a faxineira contou que o cofre da casa dela estava fora do lugar, no chão da residência.

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: