Há mais de um século e meio, o hábito de colecionar selos tem atraído um grande número de aficionados por todo o mundo. Esse tipo de colecionismo é denominado Filatelia (do grego fila = amigos e telos = selo), tendo como seu praticante o filatelista. Na próxima sexta-feira (5), os Correios comemoram o Dia do Filatelista Brasileiro, em Belo Horizonte, com a abertura de mostra comemorativa à data, que contará com a presença do diretor dos Correios em Minas Gerais, Fernando Miranda e com filatelistas de todo o Estado. Na capital, os aficionados pelo universo dos selos têm outro bom motivo para celebrar a data. No último dia 17, a empresa inaugurou uma agência filatélica, em funcionamento no edifício-sede dos Correios na capital mineira.

A proposta de criação da nova unidade é oferecer aos filatelistas um atendimento diferenciado, em espaço no qual possam usufruir do mais variado acervo filatélico, além de todos os lançamentos, produtos e serviços exclusivos. É importante destacar que nem só de selos vive o filatelista: na sua coleção também se encontram carimbos, franquias mecânicas, folhas comemorativas e blocos.

O horário de atendimento da agência filatélica, localizada na Avenida Afonso Pena, 1270, Centro, é das 8h30 às 18h (segunda a sexta-feira) e das 9h às 12h (sábados). Os Correios mantêm atualmente em Minas Gerais outras duas unidades filatélicas: uma em Poços de Caldas (Rua Prefeito Chagas, 221, 2º andar, Centro) e outra em Juiz de Fora (Rua Marechal Deodoro, 470, Centro).

História

Em cinco de março de 1829, D. Pedro I baixou um decreto que organizou os Correios do Brasil, definindo tarifas e outras questões de importância para o desenvolvimento dos serviços postais. Essas medidas culminaram com a independência e a organização dos Correios do Brasil, possibilitando que, em 1º de agosto de 1843, 14 anos depois, fosse emitido o primeiro selo postal brasileiro.

Mas a decisão de tornar o 5 de março o ?Dia do Filatelista? ocorreu somente em 1969, em São Paulo, durante um congresso organizado pela Comissão Estadual de Filatelia.

O Brasil foi o segundo país do mundo e primeiro das Américas a adotar o selo postal como comprovante de franqueamento, graças ao pioneirismo de D. Pedro II. Sensível às ideias inovadoras da época, o Imperador vislumbrou no Penny Black, primeiro selo emitido no mundo, em 1º de maio de 1840, na Inglaterra, uma conquista que marcaria definitivamente o destino dos correios.

COMPATILHAR: