No levantamento financeiro dos três times da capital mineira, realizado pela EY, baseado em análise dos balanços financeiros de América, Cruzeiro e Atlético no qual O Tempo Sports teve acesso, alguns pontos chamam a atenção como o Cruzeiro sendo o clube que mais reduziu sua dívida, enquanto o Atlético sendo o que mais recebeu de vendas de jogadores, acordos comerciais (patrocínios) e nos dias de jogos.

Além disso, o levantamento mostra um crescimento de 184% das receitas dos três clubes nos últimos dez anos.
2023

Somente no ano passado, os três clubes da capital movimentaram R$ 1 bilhão em receitas, sem contar com vendas de jogadores, sendo que, no total, as receitas de América, Atlético e Cruzeiro somam R$ 1,2 bilhão.

Do total de receitas, R$ 530 milhões foram em direitos de transmissão, R$ 148 milhões foram em match day (nos jogos), R$ 195 milhões em vendas de jogadores e R$ 156 milhões foram em receitas comerciais, como patrocínios, lojas e royalties de produtos.

Receitas

As receitas totais acumuladas de América, Atlético e Cruzeiro evoluíram 184% no período de 10 anos analisado. Com relação a 2022, houve um aumento de 61%. Já as receitas recorrentes, que não incluem as transferências de jogadores, também tiveram uma evolução de 159% nos últimos 10 anos, com aumento de 59% entre 2022 e 2023.

Em termos de receita total dos três clubes houve aumento de R$ 230 milhões nas receitas de Direitos de Transmissão e Premiação, em relação ao ano anterior. Tendo, inclusive, aumentado a sua representatividade nas receitas totais para 44%. Essa progressão ocorreu, principalmente, pelo Cruzeiro que incluiu nas receitas o valor recebido pela venda de percentual dos Direitos de Transmissão junto à Liga Forte União (“LFU”)*, em negociação dos Direitos Comerciais do Campeonato Brasileiro, das temporadas de 2025 a 2074 (50 anos).

As receitas de transferências de jogadores, que ocuparam o 2° lugar de representatividade nas receitas, também tiveram um aumento de 69% em comparação a 2022.

Quanto às receitas de matchday (dia dos jogos), apesar de perderem representatividade em 2023, tiveram aumento de 4% em relação ao exercício anterior.

Rivalidade

A dupla Atlético e Cruzeiro encabeçam os principais quesitos. Em termos de receitas, o Galo é quem mais ganhou com vendas de jogadores. O clube saltou dos R$ 88 milhões de 2022 para os R$ 112 milhões.

O América é o segundo no quesito, saltando dos R$ 11 milhões para R$ 62 milhões. Já o Cruzeiro saiu dos R$ 16 milhões para os R$ 21 milhões.

Nas receitas comerciais, o Galo atingiu R$ 63 milhões contra R$ 60 milhões do Cruzeiro e R$ 33 milhões do América.

Nos ganhos em dias de jogos (matchday), o Galo também lidera com R$ 85 milhões contra R$ 60 milhões do Cruzeiro e R$ 3 milhões do América.

Endividamento

Já na parte das dívidas, o Cruzeiro pode se gabar em ser o clube que mais diminuiu seu passivo. Por conta da recuperação judicial e de acordos, a Raposa saiu dos R$ 1,7 bilhão para R$ 719 milhões de dívida líquida. Uma redução de 58%.

O Atlético, que chegou a dever R$ 1,5 bilhão, reduziu o passivo líquido para R$ 824 milhões, sendo uma redução de 48%. Já o Coelho viu sua dívida aumentar de R$ 122 milhões para R$ 136 milhões, ou seja, um aumento de 12%.

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: