Durante a reunião da Câmara Municipal desta segunda-feira (7), alguns membros da diretoria da Associação de Auxílio ao Deficiente Físico (Asadef) estiveram no plenário e levaram uma carta de esclarecimento à população. O documento informa aos moradores do bairro Santo Antônio que a entidade não sabe o real motivo do Programa de Saúde da Família (PSF) não está mais funcionando no local e ao mesmo tempo questiona a Secretaria Municipal de Saúde pelo ocorrido.
O documento lido no plenário da Câmara relata que a diretoria da entidade pretendia renovar o contrato com a Prefeitura e que o PSF prestava grandes benefícios aos moradores do bairro. Eles ressaltaram ainda que nunca foi pago nenhum aluguel referente à fisioterapia, que é oferecida no local. Segundo à carta, os aparelhos pertencem a Asadef e a Secretaria de Saúde não presta manutenção, não é de interesse da entidade que a Secretaria de Saúde retire o PSF do local e sim que haja uma parceria justa.
O contrato entre a Prefeitura e a Asadef termina no dia 30 de junho. O primeiro secretário da entidade, Walter Faria ressaltou que ninguém da Secretaria de Saúde comunicou que o atendimento no local seria suspenso. ?Infelizmente, a população está alegando que fomos nós da Asadef que tiramos o PSF do local, o que não é verdade. Em relação ao contrato, pode até haver uma reincidência, acarretando em multas. Desde o dia 12 de fevereiro estamos encontrando dificuldades em relação a Secretaria de Saúde, eles não respondem mais os nossos ofícios?, contou Walter Faria.
A redação do jornal Nova Imprensa e do portal Últimas Notícias entrou em contato com a ouvidoria da Secretaria Municipal de Saúde para as devidas explicações. A assessora Fernanda Matias informou por meio de uma nota que, infelizmente, o prédio onde funciona a Asadef, local em que as atividades do PSF eram desenvolvidas, não oferecia as adequações necessárias para o Programa de Saúde da Família. Por isso, a necessidade de que o posto fosse desativado. Medida que foi estudada há vários meses pela Prefeitura e exposta aos moradores dos bairros próximos, antes de ser tomada.
A comunidade pertecencente ao PSF que funcionava no prédio da Asadef agora está sendo atendida pelas unidades de saúde do bairro Bela Vista e do bairro Vargem Grande. Até que o novo Posto de Saúde seja construído no Bairro Areias Brancas, no local onde funcionava a quadra de esportes. Um empreendimento que teve a aprovação da comunidade, por meio de um plebiscito realizado pela Câmara Municipal, com a comunidade que solicitou a obra naquele espaço.
Ainda de acordo com a nota, a entrega do imóvel, nas dependências da Asadef, pela Secretaria Municipal de Saúde, antes do prazo de vencimento do contrato foi indispensável para que fossem tomadas todas as medidas que abrangem um contrato de aluguel, como exemplo a análise da situação atual do imóvel no ato de sua devolução.
A Secretaria Municipal de Saúde esclarece que mantém um vínculo com a diretoria da Asadef e os ofícios encaminhados por aquela instituição são referentes ao aluguel da sala de fisioterapia e nada tem em comum com o PSF.
Segundo as explicações, não há possibilidade de que o PSF volte a funcionar no prédio da Asadef porque a suspensão dos trabalhos naquele prédio foi analisada por um longo tempo e faz parte de todo um processo para a melhoria do atendimento à população, que sempre foi informada sobre esses fatos. A mudança não é culpa de ninguém e a direção da Secretaria Municipal de Saúde sempre respeitou a equipe da Asadef e está sempre à disposição para qualquer esclarecimento.
Todas as medidas da Secretaria Municipal de Saúde têm sido discutidas com a comunidade e a mudança do PSF não é nenhuma surpresa.
A equipe da Secretaria Municipal de Saúde espera que a comunidade possa entender esse momento de adaptação e tão logo possam desfrutar da nova unidade que será construída no Bairro Areias Brancas. Até que isso se torne realidade, a secretaria pediu a compreensão de todos daquela região, concluiu a nota.

Comentários
COMPATILHAR: