O número de casamentos realizados no Brasil subiu 6,5% em 2006, na comparação com o ano anterior. No mesmo período, houve crescimento de 7,7% nos divórcios. As informações fazem parte das Estatísticas do Registro Civil, divulgadas nesta quinta-feira (6), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ).
Segundo a pesquisa, foram realizados 889.828 casamentos no país no ano passado. Em 2005, foram 835.846. O aumento segue uma tendência observada desde 2002 e é resultado da legalização de uniões consensuais, de acordo com os pesquisadores.
O IBGE aponta que, entre as mulheres, o maior índice de casamentos legais ocorreu na faixa etária de 20 a 24 anos (30%). Já os homens tiveram taxa mais elevada no grupo de 25 a 29 anos (35,8%). As taxas das mulheres são maiores apenas nos dois grupos etários mais jovens (15 a 19 anos e 20 a 24 anos). Nos demais, as taxas observadas para homens são maiores.

Idade média
Os dados do registro civil apontam também a idade média dos homens e das mulheres na época do casamento. Em 2006, a idade média dos homens no primeiro casamento foi de 28,3 anos. Das mulheres, foi de 25,4 anos.
Quando o cálculo considerou todos os casamentos, a média de idade dos homens elevou-se para 30,6 anos e a das mulheres, para 27,2 anos.
A pesquisa do IBGE mostrou que o mês que registra maior número de casamentos é dezembro, por causa dos ganhos extras do fim do ano.

Casamentos entre solteiros
Os técnicos do instituto observaram uma tendência de queda de casamentos entre solteiros. Em 1996, 90,9% dos arranjos eram entre solteiros e, em 2006, esse resultado caiu para 85,2%.
No ano passado, o Rio de Janeiro teve a menor proporção de casamentos entre solteiros, de 79,5%. O Amazonas e o Piauí ficaram com os maiores percentuais, ambos com 94,9%.
Em contrapartida, as estatísticas mostram que é crescente a proporção de casamentos entre indivíduos divorciados com cônjuges solteiros. Os percentuais mais elevados foram observados entre homens divorciados que casaram com mulheres solteiras, passando de 4,2%, em 1996, para 6,5% em 2006.
O aumento de casamentos entre cônjuges divorciados subiu de 0,9%, em 1996, para 2,2%, em 2006.
O levantamento também revela que os homens idosos casam mais do que as mulheres da mesma idade. Entre as pessoas de 60 anos ou mais, a taxa de nupcialidade entre os homens é de 3,4%. Já entre as mulheres, é de 0,9%.

Mais divórcios
Em 2006, o número de separações judiciais concedidas foi 1,4% maior do que em 2005, somando um total de 101.820. Neste período, a análise mostra a mesma tendência de crescimento em quatro regiões: Norte (14%), o Nordeste (5,1%), o Sul (2,6%) e o Centro-Oeste (9,9%). Somente no Sudeste houve decréscimo de 1,3%.
Os divórcios concedidos tiveram acréscimo de 7,7% em relação ao ano anterior, passando de 150.714 para 162.244 em todo o país. Nesse item, a tendência é de crescimento em todas as regiões, sendo de 16,6% para o Norte, 5,3% para o Nordeste, 6,5% para o Sudeste, 10,4% para o Sul e 9,3%, no Centro-Oeste.

Comentários