A edição sem erros da aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio 2011, realizada no fim de semana em todo o país, segundo especialistas contribuiu para a consolidação da credibilidade do processo seletivo entre as universidades. Em Minas Gerais, 54 instituições de ensino superior, entre elas 11 federais, utilizam o teste para a seleção de novos alunos.
Para o pró-reitor de graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Eduardo Magrone, a última barreira para mais adesões das universidades à prova foi quebrada. O Enem, agora, parte para a consolidação, aposta Magrone. Outro indicativo para essa conclusão do pró-reitor foi a queda do número de abstenções. A universidade da Zona da Mata, desde o ano passado, utiliza o teste como referência para a primeira etapa. A instituição ainda utiliza um processo de seleção particular, onde o aluno começa a ser avaliado no primeiro ano do ensino médio.
De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), organizador do Enem, a abstenção de candidatos foi de 26,4%, índice menor do que a média do ano passado, de 28%. Minas Gerais registrou média de 27,39%.
Para o consultor pedagógico, Guilherme José Barbosa, a queda do número de faltosos reflete um olhar mais acreditado dos candidatos na seleção. A tendência é ser menor ainda o ano que vem, acredita Barbosa.

Comentários