Redação Últimas Notícias 

O Setor de Controle de Endemias identificou nove casos suspeitos de dengue em apenas uma semana, em Formiga. Segundo a Secretaria de Saúde, até o momento foram notificados 32 casos suspeitos da doença, dois deles tiveram resultados positivos.

Do dia 27 de janeiro a 2 deste mês, os agentes de controle de endemias percorreram residências na cidade, conferindo se haviam possíveis criadouros do Aedes aegypti.

De acordo com a Secretaria de Saúde, 3.950 visitas a residências foram realizadas em uma semana. Destas, 1.080 residências se encontravam fechadas. “O Setor de Endemias vem trabalhando firme no combate ao mosquito. Durante as visitas, ele realizou diversas ações, uma delas foi o recolhimento de pneus no bairro Nossa Senhora de Lourdes”.

O primeiro Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) de 2019 classificou Formiga com risco médio para epidemia de dengue. A análise que apontou um índice de infestação predial de 3,8 foi realizada entre os dias 15 e 18 de janeiro.

A infestação  do mosquito da dengue está concentrada em 11 bairros:  Bela Vista, Novo Horizonte, Sagrado Coração de Jesus, Alvorada, São Luiz, Nossa Senhora Aparecida, Ouro Branco, Rosa Mística, Ouro Verde, Vila Esperança e São Geraldo.

Entre as ações apresentadas pelo Comitê Intersetorial e Interinstitucional Municipal de Enfrentamento da Dengue, Chikungunya e Zika está a realização de mutirões de limpeza nos 11 bairros que apresentaram alto índice de foco do mosquito.  Trabalhos educativos em escolas; pinturas com frases de alerta em locais estratégicos da cidade e divulgação em redes sociais também estão entre as ações de combate.

Nas localidades onde estão sendo notificados casos prováveis por dengue, o Setor de Endemias está realizando a aplicação de inseticida (UBV Costal).

A secretaria convoca a população para que também se posicione no combate à dengue, uma vez que a maioria dos focos está nas residências.

No Estado

 Minas Gerais registrou até o momento 12.323 casos prováveis de dengue. São 10.281 casos a mais da doença em relação ao mesmo mês de 2018, quando foram registrados 2.042 casos. O número só é superado pelos registros de 2016, quando ocorreram 57.617 no primeiro mês do ano. Dois óbitos estão em investigação.

Os dados foram divulgados na segunda-feira (4), pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais. Em relação à febre chikungunya, Minas Gerais registrou 214 casos prováveis da doença. Há dois óbitos em investigação, notificados em 2018. Em 2019, até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença.

Já em relação à Zika, foram registrados 49 casos prováveis da doença em 2019.

COMPATILHAR: