Em viagem pela Europa, o vereador de Belo Horizonte Nikolas Ferreira (PRTB) foi alvo de críticas nesta segunda-feira (24) ao apoiar movimento antivacina. 

Em foto publicada nos stories do Instagram do próprio parlamentar, ele aparece ao lado de uma ativista em Londres, que segura um cartaz com os dizeres: “Please, don’t jab children” (“Por favor, não vacinem as crianças”, em tradução livre). 

De acordo com informações do estado de Minas, Nikolas negou ser contrário a imunização de crianças. O político ponderou que é, na verdade, contra o que chama de “coerção dos pais para adesão à campanha” que, atualmente, atende a faixa dos 11 aos 5 anos. 

“Existe uma coerção aos pais. Eles precisam autorizar a vacina, mas são pressionados até cederem. Tem todo um discurso de que, se eles não levarem os filhos para a vacinação, eles não têm empatia, não se importam com as crianças. Isso não é liberdade. Liberdade sob pressão não é liberdade. Para mim, os pais é que decidem sobre os filhos. O estado não pode querer tomar nossas crianças”, defende o vereador. 

Conforme determinação do Ministério da Saúde, a dose só é inoculada mediante autorização expressa, por escrito, dos responsáveis. Os imunizantes também receberam a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação nos pequenos, e tem a segurança atestada por rigorosas autoridades regulatórias em todo o mundo, como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Food and Drug Administration (FDA), agência de fármacos e alimentos dos Estados Unidos.

Viagem 

Desde 14 de janeiro, o vereador está em missão religiosa por diversos países europeus. Entre as localidades percorridas até o momento, ele cita Bélgica, Portugal, Luxemburgo e Londres, onde está no momento. 

Questionado pela reportagem sobre origem dos recursos que custeiam a viagem, Nikolas afirma que viajou a convite de um conjunto denominações evangélicas baseadas na Europa, mas não especificou quais são. Consultada pelo Estado de Minas, a Câmara Municipal confirmou que a instituição não financia a viagem do vereador. 

Ele não informou quando pretende retornar, mas disse que estará de volta antes do fim do recesso parlamentar, válido por todo o mês de janeiro.

Fonte: Estado de Minas

Comentários