A transição do inverno para a primavera, estação que começa neste mês, traz um alerta para crianças e adultos. O período seco e com clima ainda ameno é o mais propício para a propagação do vírus que causa a varicela, comumente conhecida como catapora.
Entre 2001 e 2011, os casos da doença entre os meses de agosto e outubro responderam por 56,3% de todas as notificações recebidas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES).
No ano passado, foram registradas 42 mortes em decorrência da doença em todo o Estado, com 64% dos óbitos entre agosto e outubro.
O balanço dos casos registrados pela SES em agosto deste ano ainda não foi concluído, mas, até o fim do mês passado, a pasta já tinha sido informada sobre 962 incidências. Somente em Belo Horizonte, até o último dia 22, foram confirmados 69 casos, segundo a secretaria.
De acordo com a médica Marilene Silva, a proliferação do vírus é favorecida nesse período pela combinação entre alta incidência de pacientes com secreções – vindas de quadros virais típicos do inverno – e início do calor, com tempo ainda seco.
As crianças, de acordo com ela, costumam ser o alvo mais fácil da doença. A transmissão se dá por via oral e por contato com secreções. As crianças pegam mais facilmente porque convivem muito juntas. Nesse período, é comum acontecerem surtos de catapora em escolas infantis, analisou.
A vacina só pode ser dada a partir de 1 ano e, por enquanto, está disponível em larga escala somente na rede particular. O Ministério da Saúde a distribui somente para populações indígenas ou pessoas com graves deficiências imunológicas.
Marilene Silva reforça que, apesar de a catapora ser mais recorrente entre crianças, nas quais gera feridas e causa febre -, quadro da doença é mais grave para adolescentes e adultos.
Quem já contraiu a doença está imune a um novo quadro.

Comentários