Da Redação 

Nesta semana, o 10º Batalhão de Bombeiros Militar de Minas Gerais (10º BBM) lotado em Divinópolis divulgou um balanço parcial dos casos de incêndios registrados na região, em setembro. O 10º BBM é responsável pelas cidades de Divinópolis, Formiga, Oliveira, Pará de Minas, Itaúna e Nova Serrana.

De acordo com o balanço o município de Formiga é a segunda cidade com maior número de queimadas da região, com 35 registros. Divinópolis é a primeira cidade com registros de incêndio, com 65 casos. Em terceiro lugar está Oliveira, com 33 casos seguida por Pará de Minas, com 31 ocorrências. Em Itaúna foram registrados 20 casos e em Nova Serrana, 25. Os dados ainda não consideram os números de agosto.

De acordo com a Secretaria de Estado de Meio-Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), na temporada seca do ano passado, mais de 23 mil hectares de vegetação das áreas de conservação de Minas Gerais foram destruídos por incêndios.

Atear fogo em mata é crime inafiançável. Na quinta-feira passada (7) um homem foi preso em Formiga por atear fogo em uma mata ao lado do 63º Batalhão da Polícia Militar. Ele foi preso e conduzido para a Penitenciária Regional de Formiga. Além de responder a processo por crime ambiental, o homem poderá ser multado de acordo com a legislação ambiental vigente.

O incêndio assustou os moradores. De acordo com internautas que registraram em vídeo as labaredas e a imensa nuvem de fumaça, por pouco as chamas não atingiram as residências próximas ao local.

Já no final do mês de agosto, uma grande área localizada junto às margens do rio Formiga, no bairro Santo Antônio foi incendiada criminalmente. Com a intensidade das chamas, além de consumir uma grande área de mata ciliar, o fogo atingiu o encanamento de esgoto e de abastecimento de água de algumas residências e parte da fiação elétrica da via.

Em Arcos, no sábado (9) duas crianças ficaram levemente feridas após um incêndio provocado em uma mata próximo à linha férrea ter atingido a residência onde elas estavam no bairro Brasília. Outras casas foram atingidas.

Já em Nova Serrana dois homens foram presos foram presos por incendiar uma área de vegetação. O crime é caracterizado como inafiançável. A pena é de dois a quatro anos de reclusão mais multa.

Para alertar a população contra a prática de incêndio, que configura crime ambiental, o 1º Grupamento do 3º Pelotão de Meio Ambiente de Formiga divulgou algumas dicas de prevenção.

A prática de queimadas é extremamente nociva, tanto à vegetação e ao solo assim como para as pessoas e para animais silvestres. A incidência de fogo, fumaça e cinzas resultam em grandes inconvenientes, sejam relacionadas à saúde com enfermidades ligadas a problemas respiratórios e alergias, assim como também a disposição final das cinzas, sujando residências vizinhas. Ressalta-se que queimadas as margens das rodovias, muitas das vezes resultantes de cigarros lançados por motoristas ou passageiros podem também ocasionar acidentes de grandes proporções.

Está previsto na Lei 9.605/98, no seu artigo 40 que provocar queimadas e incêndios em matas, floresta e similares pode resultar na prisão do autor por um período de dois a quatro anos. Além disso, quem realiza queimadas e incêndios também será penalizado com multa que pode variar de R$664,58 a R$7.476,58, conforme o tamanho da área atingida e as características do material queimado e da vegetação atingida, podendo ainda esse valor ser multiplicado várias vezes, quanto maior for à área queimada.

A Polícia de Meio Ambiente conta com o apoio da população com intuito de identificar autores de crimes ambientais nos municípios da região, repassando as informações para o 3º Pelotão PM de Meio Ambiente, ou por meio do Disque Denúncia 181.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (37) 3322-1454.

 

Fonte: Com informações do portal Sistema MPA ||

Comentários