Chuvas de maior intensidade causaram o deslizamento em um dos taludes de contenção do material depositado na célula “1” do Aterro Sanitário de Formiga; célula base para as demais.

Segundo nota da Prefeitura, “Funcionários da Gestão Ambiental trabalharam de sexta a domingo para corrigir imediatamente o problema. Foi adotada uma solução paliativa e, ao fim das chuvas, será dada uma solução definitiva. Apesar do deslizamento, o aterro continuou funcionando normalmente e assim permanece”, diz a nota oficial que também afirma que “na gestão passada, houve no mesmo local, problema semelhante”.  

 

 

Nota do editor:

Ao que se sabe, houve sim, problema semelhante ao hoje detectado e alguns outros que, debelados em tempo, não representaram riscos maiores que viessem afetar a estabilidade do aterro e sequer foram detectados pelas fiscalizações que mensalmente eram realizadas pelos técnicos da Fundação Israel Pinheiro (FIP) e de outros órgãos fiscalizadores.

Realmente, a operação de empreendimentos daquele porte exige de seus administradores vigilância permanente, assim como a constante execução de serviços de manutenção em toda a área ocupada pelo aterro. Especialmente quanto à limpeza de canaletas e dos dutos de escoamento das águas pluviais, assim como da cobertura e compactação diária do material ali depositado (mais de 45 toneladas/dia). Tudo isto em conformidade com as normas previstas no manual de operações que acompanha o projeto. Sem estes “cuidados”, corre-se o risco de ser facilitada a movimentação maior da massa ali existente, o que se acontecer, facilita a formação de bolhas de ar e o indesejável acúmulo de água, não captada pela espinha de drenos.

Levantamentos topográficos constantes, assim como a verificação periódica das informações produzidas através dos piezômetros, se aferidos em espaços de tempo igualmente previstos no projeto, podem em tempo hábil, evitar problemas maiores.

As queixas do atual secretário, Jorge Zaidan, sobre a falta de recursos que resultam na escassez de mão de obra; não funcionamento ou contratação de máquinas e equipamentos indispensáveis; de veículos necessários para o transporte de material ali consumido diariamente e captado em locais distantes; podem explicar, embora não justifiquem a ocorrência de fatos como o agora relatado.

A localização do Aterro  que fica dentro de área de influência da bacia do Rio Pouso Alegre, exige da administração pública maiores cuidados com a operação daquele indispensável equipamento público. O projeto, que só estará totalmente implantado em mais alguns anos precisa ser seguido à risca assim como devem ser observadas e cumpridas todas as condicionantes existentes desde a época de sua liberação pelos órgãos técnicos.

Comentários
COMPATILHAR: