“A partir de hoje não temos mais estado de emergência em saúde vinculado a arboviroses”, informou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, nesta terça-feira (2), colocando fim à epidemia de dengue em Minas. A situação de emergência havia sido decretada em 26 de janeiro e, de lá para cá, mais de 1,6 milhões de casos foram registrados.

A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado dessa segunda-feira (1º) e detalhada nesta terça pelo representante da pasta. Baccheretti destacou que as três doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti – dengue, zika e chikungunya – têm um comportamento sazonal, ocorrem em maior número durante o período de chuvas. E foi o que aconteceu em Minas, quando os casos começaram a ‘explodir’ em dezembro do ano passado.

“Especialmente em janeiro, quando houve uma aceleração. Foi quando detectamos emergência. Mantivemos o decreto mesmo com queda porque muitos municípios precisavam manter a contratação de médicos e a compra de insumos. Agora não, o Estado inteiro está em queda constante, boa parte não está com alta incidência”, comentou.

Números em Minas

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde na segunda-feira, Minas estava com 1.655.644 casos prováveis de dengue (notificados, exceto os descartados), sendo que 970.216 foram confirmados para a doença. Até o momento, houve 764 mortes e 732 estão em investigação.

Em relação à chikungunya, foram registrados 143.995 casos prováveis da doença e 109.953 confirmados. Até o momento, 83 óbitos e 32 estão em investigação.
Quanto ao vírus zika, foram registrados 275 casos prováveis e 38 confirmados. Não houve óbitos confirmados ou em investigação.

 

Fonte: Hoje em Dia

COMPATILHAR: