Atualmente, por meio das redes sociais, a população tem trazido ao conhecimento público suas principais reivindicações e nós da imprensa, atentos, verificamos sua autenticidade e quando é o caso, as repercutimos.
Essa semana, uma internauta reclamou que na avenida Vereador José Higino Filho existem muitas crateras. ?…ao que parece [as crateras] foram feitas pela empresa responsável em arrumar aquela avenida. Há casas e comércios ilhados por ali, sem acesso de carros e sem poder usar suas garagens. Uma revendedora de gás está usando só parte de sua entrada, e várias casas estão com essas crateras bem na frente delas. Do outro lado da avenida, a impressão é de que os barrancos vão ceder. É preciso fotografar e postar para que todos entendam o que falo. Se alguém também puder me explicar o motivo daquilo que fizeram e qual a previsão de que esteja tudo pronto, agradeço?, solicitou a internauta.
Como já havíamos tomado conhecimento do convite do prefeito (por meio do programa Jaime Mendonça) que exortava a população a visitar o local e conhecer o projeto da grande obra que era agora, reiniciada, a equipe de reportagem esteve no local e estranhou a falta de equipamentos. A redação do jornal entrou em contato com o secretário responsável pelo Departamento de Trânsito, Ney Araújo, que explicou que as obras naquela via pública, de fato, haviam começado na gestão anterior e por volta de meados de dezembro, foram paralisadas. ?Agora, a Prefeitura está dando continuidade a elas. A empresa responsável é a Pavidez Engenharia. Acredito que, se a chuva ajudar, em 60 dias as obras serão finalizadas?, explicou.
Nossa reportagem visitou o local, por volta das 16h40 de quarta-feira (29). Não encontrando em todo o trecho percorrido, máquinas ou equipamentos operando. Em contato com a Pavidez Engenharia para saber o motivo da descontinuidade nos serviços, o engenheiro Cássio Henrique Inacarato informou que em virtude das chuvas, o pessoal foi dispensado. A grande umidade inviabiliza a execução dos trabalhos.
De acordo com o engenheiro, na segunda-feira (3), todo o equipamento disponibilizado (em torno de 20 ? entre caminhões e máquinas) voltará ao serviço e adiantou que a parte de pavimentação deverá ser concluída em mais ou menos 60 dias. Também revelou que cerca de mil metros de meio fio e de calçadas serão ali construídos, além de novas obras de drenagem pluvial.
De fato, como mostra a foto, o comércio vizinho está passando por sérias dificuldades em virtude das obras do alargamento da via (mais que necessárias), e por suas consequências inevitáveis, com escavações imprescindíveis para a construção de base e sub-base que sustentarão as novas pistas de rolamento. A grande preocupação dos comerciantes ouvidos é em relação ao tempo que, pelo andar da carruagem, se não houver mais chuvas, para eles, ainda assim é muito longo.
O valor das obras anteriormente contratadas é de R$768.900. Em seguida, houve um acréscimo (reajuste) de R$137 mil, perfazendo o total de R$905.900, e segundo informações obtidas junto ao departamento responsável pelo controle de convênios deste município, foi informado de que a verba relativa a esta obra já está em sua totalidade disponibilizada pelo órgão conveniado.
O importante, também, é deixar registrada a preocupação dos usuários daquela via com relação a total falta de sinalização no canteiro de obras em que se tornou a José Higino Filho em uma extensão de quase um quilômetro.

COMPATILHAR: