Redação UN

Um homem, de 29 anos, foi mais uma vítima de estelionato em Formiga. Ele perdeu R$ 27.231 mil ao se vincular a um falso representante, que se dizia ser funcionário de um banco. Ele, sem desconfiar, fez os pagamentos acreditando estar adquirindo o consórcio de um imóvel.

A vítima relatou que em data passada fez o consórcio com um homem, que se passava por um representante bancário.

Na época, o estelionatário ofereceu para ele uma carta de crédito, referente a um imóvel, no valor de R$155 mil.

O suposto representante disse a vítima que se ele desse uma entrada no consórcio, ele iria ser contemplado no período de três meses e que teria o retorno da quantia já adiantada.

Acreditando na idoneidade do “representante bancário”, a vítima deu uma entrada no valor de R$ 17 mil e, posteriormente, foram pagas 11 parcelas de R$ 871, e uma taxa de vistoria no valor de R$ 650.

Após fazer os pagamentos, o estelionatário disse à vítima que o valor total de R$ 27.231,00 iria ser devolvido a ela, devido a solicitação de cancelamento do contrato.

De acordo com a vítima, depois de inúmeras tentativas de contato, o criminoso não atendeu e nem retornou as ligações e as mensagens enviadas por ele. A última tentativa de contato foi na terça-feira (9), sem sucesso.

A Polícia Militar fez o registro da ocorrência nesta sexta-feira (12). Nesta semana, também foram registrados outros dois casos em Formiga, envolvendo o suspeito, que apresentou a mesma metodologia.

A PM alerta a população para sempre checar a veracidade das informações antes de efetuarem uma transferência de valor a contatos desconhecidos.

Veja abaixo as dicas da Polícia Militar:

A POLÍCIA MILITAR ALERTA QUE EM CASO DE DÚVIDAS É NECESSÁRIO TOMAR AS SEGUINTES PRECAUÇÕES:

• Certifiquem a veracidade das informações passadas pelos golpistas, não liguem para o número oferecido por eles, faça a ligação direta a agência ou gerente de sua instituição bancária;
• Fiquem atentos ao uso de crachás, crachás podem ser feitos de forma fraudulenta;
• Não entreguem dinheiro, cartão e ou senhas a ninguém, na rua ou que vá até sua casa, instituições financeiras não prestam este serviço, você tem que ir ao banco para resolver possíveis problemas ;
• Não passe seus dados pessoais ou senhas por telefone ou pessoalmente, faça isto somente na agência ou ao seu gerente de confiança ou atendente;
• Pessoas idosas devem sempre informar aos familiares situações como estas, antes de entregarem os documentos solicitados por pelos golpistas
• Nestes casos, além de contatar a gerência da agência ou entidade que o possível golpista está “representando”; a pessoa que desconfiar do golpe deve acionar a Polícia Militar através do serviço de urgência 190. 

Comentários
COMPATILHAR: