O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta terça-feira (25), ter pedido ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, para fechar “quase todos” os clubes de tiro no país e que só “organização policial” e Forças Armadas tem que ter “local para atirar”. Em seguida, sugeriu um palavrão para dizer das pessoas que participaram dos atos do dia 8 de janeiro.

“Eu, sinceramente, não acho que um empresário que tem um lugar para praticar tiro é um empresário. Eu sinceramente não acho. Eu, já disse para o Flávio Dino: nós temos que fechar quase todos, só deixar aberto aqueles que são da polícia militar, do Exército ou da Polícia Civil”, declarou durante a live “Conversa com o Presidente” desta terça.

“É organização policial que tem que ter lugar para atirar, para treinar tiro. Não é a sociedade brasileira. Nós não estamos preparando uma revolução. Eles tentaram preparar um golpe e ‘se fu’”, disse usando uma corruptela para evitar falar um palavrão.

O mandatário brasileiro assinou, na semana passada, um decreto que restringiu o acesso às armas de fogo e munições para a população e também para os Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CACs). Além disso, proibiu o funcionamento dos clubes de tiro 24 horas e determinou um fixou limite mínimo de distância para que os estabelecimentos operem longe de escolas e empresas. As novas regras derrubaram várias medidas que foram flexibilizadas durante os quatro anos de gestão de Jair Bolsonaro (2019-2021).

Na solenidade da semana passada, de assinatura dos decretos, Lula disse que “não queremos arsenais nas mãos das pessoas”. No dia seguinte, Jair Bolsonaro criticou as novas medidas e disse que ele, enquanto presidente, armou “o máximo possível” o povo”.

Ainda durante a entrevista desta terça, Lula disse que a política armamentista do governo anterior foi elaborada para “agradar o crime organizado”.

“Tinha uma confusão, se pode liberar arma, CAcs. Eu acho que temos que ter claro o seguinte: por que cidadão quer pistola 9 mm? O que vai fazer com essa arma? Vai fazer coleção? Vai brincar de dar tiro? Porque no fundo, no fundo esse decreto de liberação de armas, que o presidente anterior fez, era para agradar o crime organizado, porque quem consegue comprar é o crime organizado e gente que tem dinheiro”, afirmou ao dizer que ‘pobre trabalhador’ não está conseguindo comprar comida e ter coisas básicas no dia a dia.

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: