A língua portuguesa possui uma das gramáticas mais difíceis entre os idiomas de todo o mundo. São muitas regras, acentos, pontuações que confundem a cabeça de grande parte das pessoas. Nos dias de hoje, com o avanço da tecnologia, a comunicação além de se tornar mais rápida, também fez a gramática muitas das vezes, ficar esquecida.
Pela rapidez com que as informações circulam pela internet, os internautas adquiriram uma linguagem própria, utilizando palavras abreviadas e gírias de uso comum no ciberespaço. Com essa nova linguagem e devido ao tempo em que os jovens ficam na internet, na hora em que é necessário utilizar a boa e velha gramática, eis que surgem erros banais.
Nesta semana, a secretária de Cultura de Formiga, Elizabete Baptista postou em uma rede social, alguns exemplos de erros gramaticais que deixam qualquer um de cabelo em pé, como a troca de letras e palavras escritas da mesma forma como são habitualmente pronunciadas pelo ?povão?.
Por coincidência, na mesma semana, foi colocada na Praça da Matriz uma faixa anunciando a festa que a administração realizará para celebrar o Dia do Trabalhador. Todos que passaram pelo local puderam observar ali, de cara, um desses erros gramaticais considerados banais. Na faixa, a palavra cerimônia estava escrita como ?serimonia?, além do sobrenome do artista que vai se apresentar na festa também estar grafado com erro. Gouvea foi substituído por Gouveia. Em relação ao sobrenome do artista é até irrelevante o erro, pois existem sobrenomes das duas formas escritas, mas trocar o C pelo S e ainda esquecer o acento circunflexo em uma palavra, para muitos é um erro imperdoável, ou melhor ?emperdoável?, segundo comentário de um internauta.
O fato circulou nas redes sociais e se tornou piada. Apesar de não ter sido confeccionada pela administração, foi ela quem ?pagou o pato?, em face da postagem feita pela nossa digníssima secretaria, afinal de contas, a responsável pelo evento ali anunciado. Em Formiga, pode se ver de tudo e era de se esperar um erro assim, já que o prefeito da cidade não possui um linguajar dos mais cultos.

Comentários