Mais uma vítima do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte foi identificada pela Polícia Civil. A tragédia provocou a morte de 270 pessoas, sendo que sete continuam desaparecidas.

A identificação se deu por meio de DNA pelo Instituto de Criminalística. Não foi divulgado o nome da vítima. A Polícia Civil fará uma coletiva de imprensa ainda na tarde desta quarta-feira (10) para trazer mais informações sobre o caso. Ao todo 263 vítimas do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, ocorrida em janeiro de 2019, foram identificadas. 

Duas vítimas foram identificadas nos últimos meses. No último dia 6 de outubro foi identificado o corpo da enfermeira Angelita Cristiane Freitas Assis, de 37 anos.  Ela era casada e deixou dois filhos.

Em agosto tinha sido identificada Juliana Creizimar de Resende Silva, que tinha 33 anos e deixou um casal de gêmeos que, na época, tinha apenas 10 meses de vida. Os bebês também perderam o pai na tragédia. O corpo dele tinha sido identificado anteriomente. 

A comissão dos não encontrados informou que o corpo identificado foi encontrado no último dia 2 de outubro. 

“Reforçamos nosso agradecimento ao Governador Romeu Zema, por manter o compromisso de continuidade das buscas, possibilitando os encontros das nossas joias, estendemos o agradecimento ao Corpo de Bombeiros e todos os envolvidos que direta ou indiretamente contribui para que todas sejam encontradas, trazendo alento as famílias que ainda aguardam, a 1021
Seguimos firmes em nosso propósito, para continuar lutando pelo encontro das 7 JOIAS”, divulgou a comissão em nota. 

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: