O médico e cirurgião pediátrico Luciano Barbosa Sampaio foi absolvido em júri popular pela acusação de ter contribuído para a morte do menino Noah Alexandre Palermo, de 5 anos, em 2014. O julgamento aconteceu na segunda-feira (3), em São Carlos, no interior de São Paulo.

Sampaio era acusado de ter abandonado um plantão para assistir a um jogo da Seleção Brasileira. Horas antes, ele havia realizado uma cirurgia de retirada do apêndice do menino. Noah teve complicações no dia seguinte e acabou falecendo.

Um laudo pericial apontava que o procedimento contribuiu para a morte do garoto. O médico estava na capital paulista, a cerca de 200 km de distância do hospital.

Ao longo de mais de 14 horas de julgamento, foram ouvidas oito testemunhas, sendo quatro de defesa e outras quatro de acusação, além de um perito. Os jurados decidiram pela absolvição por quatro votos a três. O júri era formado por quatro homens e três mulheres.

O médico era réu por homicídio qualificado. A acusação sustentava que ele assumiu o risco da morte da criança e deixou de prestar atendimento quando o garoto teve complicações no dia seguinte à cirurgia.

Em 2018, Sampaio foi julgado e absolvido, mas a decisão acabou revertida pelo Tribunal de Justiça, que determinou o júri popular.

 

Fonte: Itatiaia

COMPATILHAR: