Minas Gerais deve receber R$ 39 bilhões em investimentos nos próximos dois anos, segundo levantamento realizado pelo Sebrae-MG. As regiões Central e Triângulo Mineiro serão as maiores beneficiadas com previsão de receber R$ 21,6 bilhões e R$ 5,7 bilhões, respectivamente. Entre os setores com mais projetos, a mineração fica com o primeiro lugar, com R$ 10,6 bilhões: transportes em segundo, com R$ 8,3 bilhões e em terceiro, a energia, com R$ 4,9 bilhões.

O município que receberá o maior investimento será Morro do Pilar, na região Central do Estado, com R$ 8 bilhões previstos. A maior parte desse investimento virá do projeto de um novo complexo minerador da Manabi. O levantamento considera investimentos divulgados na mídia até dezembro do ano passado.

O valor de investimentos divulgado, porém, apresenta uma queda de R$ 661 milhões desde a edição do levantamento anterior, realizada em outubro do ano passado. Os setores que mais apresentaram queda nos investimento foram comércio (-22%), agronegócios (-21%) e serviços (-11%). Essa queda se explica, segundo a analista da unidade de inteligência empresarial do Sebrae-MG, Paola La Guardia, pelo cenário econômico recessivo do país. No levantamento de abril de 2015, o valor de investimentos previstos era de RS 47,1 bilhões. “As expectativas negativas em relação à economia afetam diretamente os investimentos, e as pessoas, neste momento, estão temerosas”, avalia Paola.

Para a especialista, inclusive, os setores com mais investimentos previstos não estão em um momento positivo. “A mineração ainda é o setor com maior investimento por causa do perfil da economia de Minas, onde ela tem uma participação muito significativa. O Estado ainda é muito dependente da mineração, mas é um setor que também está sentindo os efeitos da crise”, avalia Paola. Já sobre o setor de transportes, que tem investimentos pulverizados em todo o Estado em função das concessões de rodovias, Paola diz que os investimentos podem ser afetados pelas investigações da Lava Jato. “Transporte é um setor que está com investimentos em várias regiões do Estado por causa das concessões, mas temos que acompanhar como vai ser o andamento destes projetos em função das investigações da operação Lava Jato”, afirma.

Entre os investimentos no transporte, Paola afirma que a Via 040 é a empresa com maior aporte atingindo a BR–040 nas regiões Central, Noroeste e Zona da Mata.

Estudo orienta projetos para micro e pequenos

O levantamento do Sebrae-MG de onde os investimentos vão acontecer no Estado e em quais setores tem o objetivo de orientar os empreendedores que procuram a entidade em busca de oportunidades.

“Os investimentos indicam onde a economia do local vai se desenvolver. Com isso, o Sebrae apresenta projetos aos empreendedores que nos procuram”, explica a analista da unidade de inteligência empresarial do Sebrae-MG, Paola La Guardia.

Para a especialista, as micro e pequenas empresas podem atuar na cadeia produtiva dessas empresas “âncoras” tanto como fornecedores quanto como clientes. “São empresas que podem tanto fornecer como desenvolver negócios com os produtos dessas grandes empresas”, explica Paola.

O levantamento, segundo Paola, também tem um papel importante em uma crise econômica. “O fato de ter crise não significa que não existam oportunidades. Com certeza é um momento de cautela, mas não significa que não é possível, o estudo mostra isso. É um momento de se atentar também para boa gestão financeira e empresarial”, completa.

 

Fonte: O Tempo Online||

Comentários