O uso indiscriminado de colírios, que ocorre sobretudo em períodos de baixa umidade ? como os que têm sido registrados na maior parte do País ?, pode provocar consequências sérias para a visão e até mesmo cegueira. Por isso, o medicamento deve ser utilizado apenas quando prescrito por um especialista.
De acordo com o Ministério da Saúde, os olhos, assim como a pele, são órgãos que ficam expostos e, por essa razão, sofrem com as mudanças climáticas. O calor e o tempo seco podem provocar sensações desconfortáveis, como vermelhidão e irritação.
Entretanto, o uso de qualquer tipo de medicamento ? como lubrificantes oculares ? não é recomendado sem orientação médica. Os colírios com antibióticos, por exemplo, se usados de forma crônica e irregular, podem causar mutações de bactérias, que se tornam mais resistentes ao remédio.
A orientação vale, ainda, para colírios que servem para clarear a esclerótica (parte branca do olho), já que um dos efeitos colaterais é o aumento da pressão arterial. Cremes e pomadas para os olhos também devem aplicados apenas se indicados por um médico.
Como usar o colírio
– Lavar as mãos;
– Levantar a cabeça e puxar a pálpebra para baixo, a fim de que o colírio caia dentro do olho;
– Usar apenas uma gota;
– Manter os olhos fechados por dois minutos;
– Não esfregar os olhos ou piscar depois de pingar o colírio.
Cuidados com o colírio
– Os vidros devem ser mantidos bem fechados e ao abrigo da luz;
– Vidros abertos há muito tempo devem ser jogados fora;
– Observe o prazo de validade impresso na caixa ou no rótulo;
– Ao usar o colírio, coloque a tampa em lugar limpo, evitando que a parte de dentro encoste em qualquer superfície ou objeto;
– Cuidado com o uso repetido de colírio anestésico, que pode levar à perda da visão.

Comentários