Instituições públicas ou privadas que queriam doar medicamentos, insumos de saúde ou enviar profissionais de saúde para compor a ajuda brasileira ao Haiti, contam a partir desta terça-feira (19) com um sistema na internet para cadastrar a sua doação ou serviço. Profissionais de saúde autônomos também podem se inscrever no cadastro reserva do Ministério da Saúde. Técnicos do Ministério da Saúde viajam nesta semana ao país, onde identificarão as necessidades para a reorganização do sistema de saúde local. O Brasil também enviará mais 20 kits com duas toneladas de diversos produtos de saúde para atendimento a população haitiana.
O cadastro poderá ser feito nos seguintes endereços: para medicamentos e insumos (http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=3646) e para profissional de saúde (http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=3647) e será analisado pelo Ministério da Saúde. O envio dos medicamentos, insumos e de profissional de saúde observará a demanda proveniente do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República que coordena a ação de apoio ao Haiti. Assim, as instituições ou pessoas interessadas em doar devem se cadastrar e aguardar a comunicação do Ministério da Saúde.
Várias instituições de saúde sinalizam a disponibilidade de doar medicamentos e insumos ao Haiti. A Fiocruz/Ministério da Saúde ofereceu 40 toneladas de medicamentos para doação ao país. São analgésicos, antiinflamatórios, anti-hipertensivos, sais para a reidratação oral, entre outros, que já fazem desse banco de dados criado pelo Ministério da Saúde. ?Nós estamos organizando o estoque de doações relacionadas ao setor saúde. Assim o envio observará as orientações do GSI?, explica o Diretor do Departamento de Vigilância Ambiental, Guilherme Franco Netto, que coordena o grupo de resposta do Ministério da Saúde.
Guilherme Franco explica que a resposta do setor saúde se dará em três fases. No curto prazo, o resgate de pessoas. A oferta de serviços de saúde temporários vem em seguida, com os hospitais de campanha e atividades de prevenção e controle de doenças transmissíveis, uma etapa de médio prazo. Finalmente, será feita a estruturação do sistema de saúde haitiano, um trabalho de médio a longo prazo.
O Ministério da Saúde já enviou 20 kits de medicamentos e insumos estratégicos para a assistência farmacêutica ao Haiti. O material é suficiente para atender 10 mil pessoas por um período de três meses. Outros 20 kits serão encaminhados até a próxima semana. Cada kit contém antiinflamatórios, antibióticos, anti-hipertensivos, diuréticos, analgésicos, para o combate a dermatoses e sais de reidratação oral, além de seringas, luvas, esparadrapos e hipoclorido de sódio, para o tratamento de água potável, entre outros componentes. ?Estamos nos organizando para oferecer o máximo de ajuda às vitimas do terremoto?, explica Franco Netto. O envio da ajuda brasileira obedece à estratégia de prioridades do Ministério da Defesa, de acordo com as deliberações do GSI/PR.

Voluntários
Cerca de 500 profissionais da Rede do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), dos Hospitais do Rio de Janeiro e do Grupo Hospitalar Conceição, do Rio Grande do Sul, entre outros estão à disposição do Ministério da Saúde para atender o governo haitiano assim que solicitado. Quando demandado, serão enviados prioritariamente ao Haiti equipes de saúde do Sistema Único de Saúde que possuem experiência em situação de desastres, urgência e emergência e traumatologia, entre outras especialidades a serem definidas.
O grupo de trabalho do Ministério da Saúde é responsável pela organização da resposta na área de saúde às vitimas do terremoto do Haiti. A partir do banco de dados que está sendo elaborado por meio do cadastro, o grupo organizará o estoque de medicamentos, insumos estratégicos, equipamentos hospitalares e profissionais de saúde disponíveis para atender as demandas e a articulação com o Ministério da Defesa.

Comentários