Morreu na manhã desta quinta-feira (6), aos 86 anos, o  ator, diretor e dramaturgo paulista José Celso Martinez Corrêa, fundador do Teatro Oficina,  e um dos principais nomes das artes cênicas do país. 

O artista acabou não resistindo após sofrer queimaduras em um incêndio em seu apartamento no bairro Paraíso, na Zona Sul de São Paulo, na última terça (4). Ele estava internado no Hospital das Clínicas de São Paulo e sofreu falência múltipla dos órgãos nesta manhã.

No começo de maio, o diretor esteve em Belo Horizonte com a peça Esperando Godot, estrelada por Alexandre Borges e Marcelo Drummond, marido de Zé, no Sesc Palladium. O espetáculo era dirigido pelo dramaturgo.

José Celso Martinez Corrêa foi encontrado caído no chão da sala em meio ao incêndio que ocorreu em seu apartamento. Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Civil o incêndio teria começado no quarto de Zé Celso, por volta das 7h30 da manhã, provavelmente causado por problemas em um aquecedor elétrico.

A partir daí, o fogo teria se alastrado para peças de roupa. Uma situação parecida aconteceu no imóvel há cerca de três anos, mas na ocasião o fogo foi rapidamente controlado.

Desta vez, porém, o incêndio ganhou grandes proporções, provocando queimaduras nos membros superiores, inferiores e ainda no rosto do dramaturgo. Ele foi encontrado por uma vizinha no chão da sala em meio às chamas.

Uma pessoa teria tentado tirar Zé Celso do incêndio com a ajuda de outros vizinhos. Ele foi socorrido e levado ao hospital, onde estava internado em estado grave. Além do diretor, três pessoas se feriram durante o incêndio.

Fonte: O Tempo

 

COMPATILHAR: