Morreu neste sábado (2), dias depois de completar 81 anos, o senador Itamar Franco (PPS-MG).
Na noite dessa sexta-feira (1), o hospital Albert Einstein, em São Paulo, informou que o senador permanecia na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e respirava com ajuda de aparelhos.
Itamar Franco estava internado desde o fim do mês de maio, quando descobriu que sofria de leucemia.
Na última semana, o hospital chegou a dizer que ele respondia bem ao tratamento contra a doença e que permaneceria no Centro de Terapia Intensiva (CTI).
Juiz de Fora: berço político de Itamar Franco
Itamar Augusto Cautiero Franco nasceu no dia 28 de junho de 1930, a bordo de um navio que ia do Rio de Janeiro para Salvador. Filho de Italia Cautiero e Augusto César Stiebler Franco, que morreu de malária antes de seu nascimento, Itamar viveu sua infância pobre em Juiz de Fora, na Zona da Mata Mineira, e ajudava sua mãe a entregar marmitas para aumentar a renda familiar.
Formou-se em Engenharia e Eletrotécnica pela Escola de Engenharia de Juiz de Fora, em 1955.
Seu ingresso na vida política aconteceu em 1966, quando foi eleito pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB) prefeito da cidade, sendo reeleito em 1972.
Em 1974, tornou-se senador por Minas Gerais, reelegendo-se para o cargo em 1982.
Em 1989, foi vice-presidente da República em 1989, no governo de Fernando Collor de Mello, e assumiu a Presidência durante o processo de impeachment. Após a renúncia de Collor, em dezembro de 1992, Itamar assumiu definitivamente o cargo, até o fim de seu mandato, em 1o de janeiro de 1995.
Itamar Franco será velado em Belo Horizonte e Juiz de Fora
O ex-presidente e senador Itamar Franco (PPS-MG), 81 anos, que morreu neste sábado (2) em São Paulo, será velado nas cidades mineiras de Juiz de Fora e Belo Horizonte. Os detalhes do velório e do enterro ainda estão sendo definidos pela família e por amigos. As informações são da assessoria de imprensa.
O corpo de Itamar será transportado ainda neste sábado (2) de São Paulo para Juiz de Fora e deve ser cremado em Belo Horizonte.

Comentários