Uma mulher, de 47 anos, foi presa pela Polícia Militar, no bairro Aeroporto, em Muriaé, na Zona da Mata Mineira, depois de ser acusada de atear fogo no próprio marido. O caso ocorreu no início da tarde desta terça-feira (22).

A Polícia Militar foi acionada quando a vítima deu entrada no Hospital São Paulo. Ao chegar no local, os policiais se  depararam com a mulher que, segundo os PMs, estava completamente embriagada. Os policiais não conseguiram, neste primeiro momento, coletar informações com ela devido ao seu estado.

Os policiais conseguiram conversar com a vítima, que relatou que estava conversando com a mulher, na casa, quando ela pegou uma garrafa de álcool, jogou no corpo dele e, na sequência, acendeu o isqueiro. Boa parte do corpo da vítima ficou carbonizada.

Segundo a vítima, logo após cometer o crime, a mulher acionou o SAMU, que foi até a residência e o levou ao Hospital. Contudo, ainda de acordo com a vítima, no meio do atendimento, a mulher o agrediu com socos e tapas, sendo apartada pelos enfermeiros que o atendiam.

 

Garrafa de álcool encontrada

Logo após receber o relato do homem, os policiais voltaram para tentar conversar com a mulher. Ela disse que passou a noite com o esposo usando crack e consumindo bebidas alcoólicas. E que em determinado momento, ao manusear uma garrafa de álcool, ocasionou o acidente que carbonizou boa parte do corpo do companheiro dela.

Os policiais foram até a residência e, com a ajuda da perícia, encontraram uma garrafa pet, de 600 ml. Segundo a perícia, o recipiente continha etanol, o tradicional álcool etílico.

Por causa disso, a mulher foi presa e encaminhada para a Delegacia. O caso será investigado pela Polícia Civil de Muriaé.

 

Fonte: Estado de Minas

 

Comentários
COMPATILHAR: