Uma mulher, de 33 anos, foi presa, na sexta-feira (21), no bairro Ipiranga, na região Nordeste de Belo Horizonte. Ela é suspeita de se passar por homem nas redes sociais e se relacionar exclusivamente pela internet com outras mulheres.

Quando as vítimas anunciavam o fim do relacionamento virtual a suspeita as perseguia, na vida real, e até as ameaçava de morte. Para a polícia a suspeita contou que enganava e perseguia as vítimas porque tem ódio de mulheres. Até o momento, cinco vítimas buscaram auxílio das forças de segurança.

De acordo com a Polícia Civil, a mulher, que não possui passagens pelo sistema penitenciário, foi presa em casa. A suspeita confirmou que criou um perfil falso nas redes sociais, com fotos de um homem ‘bonito’ que ela encontrou de forma aleatória na internet para se relacionar com mulheres  também ‘bonitas’, bem sucedidas, heterossexuais, com idades que variam entre os 32 e 47 anos. A suspeita admitiu que criou o perfil com o intuito de se ‘ vingar’  já que nutri ódio por mulheres.

“Essa mulher contou que nutria um relacionamento exclusivamente por telefone com as vítimas, sem nunca fazer chamadas de vídeo. Para enganar as vítimas ela coloca ao fundo barulho, que ela pegava em aplicativos, de trem, porque ela dizia que era um homem bem- sucedido e trabalhava como maquinista. Quando as mulheres cansavam desse relacionamento, que durava cerca de 3 meses, as perseguições na vida real começavam. Ela chegou a  tirar fotos no interior do prédio de uma determinada vítima e mandou para ela com ameaças”, disse a delegada Karine Tassara.

Ainda conforme a delegada, a suspeita vai responder pelos crimes de violência psicológica, ameaça e perseguição. Somadas as punições, a mulher pode ficar presa por até cinco anos.

Fonte: O Tempo

 

COMPATILHAR: