O nível de abstenção nas eleições presidenciais deste ano foi o mais alto desde 1998, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 2014, 19,4% do eleitorado brasileiro não compareceu às urnas – 27,7 milhões dos 142,8 milhões de eleitores no país. No pleito de 1998, o percentual foi de 21,5%.
A proporção de votos brancos também foi elevada neste ano – 3,8%, ou 4,4 milhões dos 115,1 milhões de votos registrados. Em 2010, o índice foi de 3,1%, e em 2006, de 2,7%. O índice deste ano também é o mais alto desde 1998, quando o percentual chegou a 8%.
Quanto aos nulos, 5,8% dos eleitores que compareceram às urnas neste ano anularam seus votos para presidente. O nível mais alto registrado anteriormente foi em 2002, de 7,4%.
Recadastramento
Em São Paulo, quase 20% dos eleitores não compareceram às urnas no domingo (5). O índice de abstenção é três pontos percentuais mais elevado que nas eleições de 2010.
De acordo com Maria Francisca Motta, assessora de comunicação do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, um dos motivos para a alta pode ser a não transferência do domicílio eleitoral. O último recadastramento nacional de eleitores foi em 1989 e, de lá para cá, é possível que muitos eleitores não tenham transferido seu título. O que acontece diferente nas cidades que já passaram por biometria, que tiveram que passar por um recadastramento. Nestes locais, o índice [de abstenção] foi de apenas 11%, disse Motta.

Comentários
COMPATILHAR: