Foi liberada pelo governo do estado a licença ambiental para a instalação de uma megausina fotovoltaica em Pirapora (Norte de Minas) pela empresa espanhola Solatio Energia, em parceria com a Canadian Solar, que fornecerá os painéis solares. A unidade será a maior da América Latina, levando em consideração a geração de energia fotovoltaica. A expectativa é de que a planta entre em operação em agosto de 2017.
Inicialmente, deverão ser investidos R$ 2 bilhões numa primeira fase do empreendimento, mas a licença contempla investimento de R$ 6 bilhões no parque fotovoltaico do município, que deverá ser composto por 10 usinas de 30MW.

O grupo já tinha recebido a licença prévia em junho de 2015. A liberação da licença ambiental de instalação, decidida em reunião realizada nesta semana entre representantes das empresas, e da Prefeitura de Pirapora e do governo do estado, foi considerada um fator determinante para a viabilizar o empreendimento. “Se a licença ambiental não fosse concedida agora, Minas poderia ficar sem o empreendimento, pois a empresa perderia o prazo de instalação estabelecido no contrato firmado com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)”, afirma o deputado estadual Gil Pereira (PP), presidente da Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa do estado.

As ações para que Minas pudesse receber o investimento foram iniciadas em 2012.

A megausina da Solatio Energia vai ocupar área de 800 hectares, na Fazenda Marambaia. Está prevista a implantação de um parque solar fotovoltaico composto por 10 usinas de 30MW cada, totalizando 300MW, linha de transmissão de 9,2 quilômetros e 138kV. O projeto prevê ainda uma área de manutenção de 0,6 hectare e subestação de 1,5 hectare e 138kV, compartilhada por todas as usinas localizadas na fazenda.

 

Novo cenário

O prefeito de Pirapora, Heliomar Valle da Silveira (PSB), o Léo Silveira, afirma que a megausina fotovoltaica “vai mudar a história” do município, que terá um grande ganho social e econômico. A expectativa é de expansão da arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de royaties, além da criação de postos de trabalho. A usina atingirá 50% de todo o faturamento da atividade industrial no município, acredita.

Segundo Silveira, devem ser gerados mais de 1 mil empregos nas obras físicas de instalação dos painéis solares. E deverão ser criadas 150 vagas em caráter permanente.

A importância do projeto também é destacada pelo secretário de estado de Meio Ambiente, Jairo José Isaac. “É gratificante quando a secretaria pode trabalhar em análise de empreendimentos que trazem não apenas um incremento significativo no desenvolvimento econômico-social da região, mas, em especial, um empreendimento de geração de energia limpa”, afirma.

Conforme o prefeito de Pirapora, pelo contrato assinado com a Aneel, a Solatio tem que iniciar a instalação da megausina ainda neste mês. Ainda dentro do cronograma, a empresa deverá começar o fornecimento para o sistema integrado de energia em 22 de agosto de 2017. Numa primeira fase, deverão ser gerados 150MW, com a previsão de chegar, posteriormente, aos 300 MW.

 

Fonte: Estado de Minas ||http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/07/14/internas_economia,783355/norte-de-minas-tera-investimento-de-r-6-bilhoes-em-megausina.shtml

Comentários