As vagas para os cursos técnicos ofertados pelas escolas estaduais de Minas Gerais cresceram cerca de 150% de 2016 para 2017, passando de 16 mil para 44,3 mil alunos matriculados até o mês passado.

Para alcançar o volume de estudantes, os investimentos sofreram um acréscimo no período: de R$4,5 milhões para R$26 milhões, um aumento de cerca de 480%.

A previsão é abrir mais 50 mil novas vagas no próximo ano, de acordo com o governo. Neste semestre, já são 42.891 matrículas nos cursos técnicos ofertados pela Rede Estadual de Educação Profissional (Rede), do governo de Minas, e outros 1.409 pelo Mediotec–Pronatec, programa do Ministério da Educação.

Atualmente, são oferecidos 28 cursos, em diversas modalidades que preparam o jovem e o adulto para novas oportunidades que surgem com o desenvolvimento da economia.

As capacitações são gratuitas e direcionadas para estudantes do ensino médio da rede pública ou pessoas que concluíram a educação secundária nessas instituições. A duração dos cursos é de um ano e meio, dividido em três módulos.

Inclusão

O aumento da oferta de formação técnica foi demandado pelos próprios alunos e vai ao encontro da política de investimentos na educação profissional empreendida pelo governo de Minas Gerais, com a ampliação da inclusão socioprodutiva, qualificação, melhoria da renda da população e geração de oportunidades para a juventude.

O número de matrículas nos cursos técnicos oferecidos nas escolas estaduais é considerado inédito em Minas, inclusive com a previsão de triplicar a oferta nessa modalidade de ensino até 2024. A iniciativa dialoga diretamente com o Plano Nacional de Educação (PNE).

Rede própria

A superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), Cecília Resende, explica que, na gestão passada, a maior parte das vagas de cursos técnicos não era ofertada pela rede estadual de ensino, mas em instituições privadas para as quais o governo repassava recursos para o atendimento da educação profissional.

“Hoje, temos outra realidade, com o fortalecimento da nossa rede, com estrutura própria, com cursos ofertados em mais de 200 escolas estaduais, criando assim uma vocação de educação profissional nessas unidades. Esse é um momento muito importante para a educação profissional, sobretudo quando se discute políticas de reforma do ensino médio, atendendo os desejos e anseios das juventudes em nosso Estado para se capacitarem melhor para o mercado de trabalho”, destaca Cecília.

A Rede Estadual de Educação Profissional (Rede) foi instituída pelo governo do Estado, por meio da SEE, com o objetivo de ampliar a oferta de cursos técnicos em todos os 17 territórios do Estado, de acordo com a vocação de cada região. Dessa forma, contribui para a profissionalização dos jovens com vistas à participação como cidadão no mundo do trabalho e atendendo às demandas das comunidades e dos arranjos produtivos locais.

Desde agosto, as 44 escolas do ensino médio em Minas que ofertam educação integral também oferecem capacitações técnicas aos alunos. A área de aplicação dos cursos foi escolhida a partir de uma consulta a mais de 9 mil estudantes de turmas do 1º ano dessas unidades.

 

Fonte: Hoje Em Dia||

Comentários
COMPATILHAR: