Nos últimos anos, o Brasil passou por um ?boom? nos tratamentos odontológicos. O problema é que, com isso, o número de reclamações também cresceu consideravelmente.
O fato se deve a proliferação de cursos de especialização em ortodontia no país, que, atualmente, passam de 500, sendo que, somente 22 deles exigem mais de 2.000 horas-aula. A carga horária está abaixo da indicada pela World Federation of Orthodontists, que é de 3.000 horas. No Brasil, isso ocorre devido a uma resolução do Ministério da Educação, que exige apenas uma carga de 360 horas para especialização.
Com profissionais sem o treinamento necessário, quem sofre é o paciente, que além de não ter um tratamento eficiente, tem um gasto financeiro mais elevado que o previsto. Entre os problemas mais recorrentes queixados pelos pacientes, estão dores de cabeça, dores na musculatura facial e também no rosto, dentes enfraquecidos e alterações na mastigação.

Comentários
COMPATILHAR: