No dia 4 de abril, durante a 154ª Reunião Ordinária do Legislativo, o vereador Arnaldo Gontijo de Freitas solicitou do Executivo, informações detalhadas sobre uma denúncia feita pelo jornal Nova Imprensa, na edição 998, relativa à quebra de uma máquina recém-adquirida pela administração, durante a realização de serviço particular.

O ofício do dia 15 de abril, assinado pelo presidente da Câmara, Evandro Donizeth da Cunha e endereçado ao chefe dos operadores de máquinas pesadas, foi protocolado no dia 18 de abril na Secretaria de Obras. Nele, são solicitadas as seguintes informações e pedidos: cópia da ordem de serviço realizado, o nome do operador, os motivos que levaram a prestação do serviço, qual tempo gasto na prestação do serviço e explicações sobre o uso de máquina do município em terreno particular.

A resposta, assinada pelo secretário de Obras, Guilherme Lara Amaral, foi enviada já no dia 19 informando que “a máquina retroescavadeira prestava serviço de limpeza e remoção de entulhos, nas ruas Coimbra e Pará de Minas, começando às 12h30 e terminado às 15h”. No ofício ainda é citado o nome do operador da máquina.

Diante da falta de respostas a vários questionamentos feitos por Arnaldo, que também não recebeu cópia da ordem de serviço, o vereador se pronunciou sobre o assunto na reunião do Legislativo dessa semana, afirmando não estar satisfeito com o que foi pontuado pelo secretário de Obras, sentindo-se desrespeitado.

Em busca de respostas e de punição caso seja confirmada a irregularidade denunciada quanto ao uso do equipamento, o vereador protocolou requerimento junto ao Ministério Público para que seja aberto inquérito para apurar o ocorrido, com a possível prática de dois crimes: utilização de máquina pública em terreno particular, e/ou depósito de entulhos em área de preservação ou sem a devida autorização (licença ambiental) para receber os rejeitos.

Relembre o caso

No dia 31 de março, uma das máquinas recém-adquiridas pela Prefeitura foi flagrada parada próximo à praça da rua Furnas, no bairro Jardim Alvorada.

De acordo com informações apuradas na ocasião, a retroescavadeira hidráulica estava sendo usada para raspar o pavimento da esquina das ruas Pará de Minas e Coimbra e de uma área particular.

O acidente e a consequente quebra da máquina ocorreram quando pedaços de um vergalhão atingiu uma das mangueiras de alta pressão (as que fazem a lâmina frontal se levantar), danificando o duto condutor de óleo sob pressão. Com a lâmina sem sustentação, o operador ainda tentou retornar para o pátio da Prefeitura, mas no trajeto, o óleo vazou e a lâmina desceu ao solo, impedindo que a máquina se movimentasse.

O problema ocorreu no dia seguinte à carreata promovida pela administração para apresentar máquinas e veículos que foram recentemente comprados para compor a frota municipal.

 

Comentários
COMPATILHAR: