Um paciente de 39 anos foi condenado à morte por promover festas e raves regadas a sexo e drogas dentro de um hospital psiquiátrico. O caso foi registrado em uma unidade de saúde de Hanói, no Vietnã.

O homem foi internado para tratar de dependência química no hospital em 2018, onde fez amizades com a equipe da unidade de saúde e, com isso, usufruía de benefícios que não eram concedidos aos demais internos.

Com o passar do tempo, ele foi transformando o próprio quarto em uma boate, com paredes à prova de som, iluminação colorida, alto-falantes e mesas de DJ. Durante as festas e raves, ele comercializava drogas para pacientes e funcionários do hospital e chamava profissionais do sexo para os convidados da festa.

Essas pessoas entravam no hospital sob o pretexto de fazer visita ao interno ou se passando por profissional da saúde. De acordo com o jornal Daily Star, o paciente ainda ofertava dinheiro e drogas gratuitas a pessoas que conseguissem trazer clientes de fora da instalação do hospital.

Um comparsa do paciente também foi condenado à morte. Eles receberam pena por compra e venda e organização do uso de drogas ilegais. Outras pessoas, como enfermeiros e um técnico de enfermagem, também foram condenados a penas de prisão.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: