Cruzeiro e Atlético se encontram, mais uma vez, no próximo domingo, às 18h30, em partida válida pela última rodada do primeiro turno do Brasileirão. Líder com sobras, o Atlético tem 42 pontos e vê seu rival Cruzeiro oscilar no campeonato, ocupando apenas a 8ª colocação. No entanto, o time azul confia no retrospecto recente em clássicos. Nos últimos 16 jogos, a equipe da Toca venceu 12 e saiu de campo derrotada apenas três vezes. O último encontro das duas equipes pelo torneio foi em dezembro do ano passado, quando o Cruzeiro aplicou o histórico 6 a 1, abrindo vantagem no equilibrado retrospecto no Brasileirão: em 54 jogos, foram 19 vitórias dos celestes, 18 dos alvinegros e 17 empates. O Cruzeiro também aposta na força de sua torcida, que esgotou os ingressos em poucas horas e será a única permitida a entrar no estádio. Já o Atlético confia na força do time, que tem acumulado pontos e grandes atuações que renderam à equipe o simbólico título de campeão do 1º turno.
Cobrança
Diante da campanha irregular no campeonato e às vésperas do clássico contra o maior rival e atual líder do campeonato, a diretoria do Cruzeiro resolveu agir e se reuniu por um longo tempo com o grupo de jogadores e comissão técnica durante a semana. Na Toca da Raposa, a cobrança é por um resultado positivo no domingo, para que a pressão diminua, a equipe inicie uma arrancada e o caminho do rival seja atrapalhado. O presidente Gilvan de Pinho Tavares confirmou a reunião, mas reiterou a confiança no time. ?A equipe é boa, nós confiamos no nosso time, nós já tivemos algumas vezes resposta positiva quando cobramos dos jogadores, eles responderam positivamente. Conversamos com eles de novo esta semana, tenho certeza que a resposta será positiva no clássico?, disse Gilvan, em entrevista à rádio Itatiaia.
Respeito e paciência
Mesmo com campanha bem superior à do rival no campeonato, os jogadores do Atlético pregam respeito e paciência para que a equipe saia de campo com o resultado positivo. Os atletas alvinegros destacam que as duas equipes se equivalem dentro de campo. ?O discurso de humildade continua o mesmo. Continuamos fazendo nosso trabalho, com os pés no chão, porque tem muita coisa para acontecer ainda. Queremos fazer um bom trabalho em campo, sendo líder até o final. O discurso continua o mesmo, até o final da competição. É ter paciência, posse de bola. Se não tiver, a outra equipe vai ter a bola?, destacou o zagueiro Leonardo Silva.
Amarelinha
O zagueiro Réver foi convocado pelo técnico Mano Menezes para fazer parte do grupo da seleção brasileira no início de setembro, em amistosos contra África do Sul e China, nos dias 7 e 10. Sendo assim, o capitão vai desfalcar o Atlético nas partidas contra Bahia e Palmeiras, pelo Brasileirão. Os outros jogadores convocados que atuam no Brasil são Cássio, Jéfferson, Paulinho, Dedé, Arouca, Lucas, Leandro Damião e Neymar.

Comentários