A direção da Rádio 93 FM enviou nesta quarta-feira (30) um comunicado à imprensa informando que, a partir da próxima sexta-feira (1º), o programa jornalístico ?Rádio Jornal?, apresentado por Eduardo Batista e Wilson José, está suspenso por tempo indeterminado.
A justificativa da empresa é de que a medida foi tomada por questões de estudos de mudanças em horário da programação. A nota ressalta que ?consta de nossa tradição, seja através da Rádio Difusora Formiguense e da Rádio 93 FM acompanhar a história de nossa comunidade e região, apoiar programas que fortaleçam a imprensa e envolvam toda a comunidade, bem como os poderes constituídos Legislativo, Executivo e Judiciário. Certamente em momento oportuno estaremos com outros horários para melhor informar nossa população?.
Entretanto, na manhã desta terça-feira (29), um grupo de amigos, críticos da mídia, em especial da imprensa formiguense, enviou um e-mail para a rede de contatos do grupo, que chegou inclusive para a redação do jornal Nova Imprensa e do portal Últimas Notícias, ressaltando que ?acreditem se quiser?, alguns políticos de Formiga, estão pressionando uma emissora de rádio para que tire seu noticiário do ar, porque estaria ferindo seus interesses, principalmente ao não aceitarem críticas quanto a suas atuações como fiscalizadores dos direitos do povo.
Em duas reuniões seguidas da Câmara Municipal, alguns vereadores criticaram a postura de um dos radialistas, que estaria denegrindo a imagens dos edis durante a exibição do programa.

Primeira suspensão
No dia 28 de agosto de 2009 (uma sexta-feira) o programa ?Rádio Jornal? não foi ao ar. Muitas pessoas estranharam o fato de o programa não ter sido apresentado. As informações eram de que o programa estaria fora do ar temporariamente por questões internas.
Isso seria uma consequência da entrevista concedida pelo então presidente da Câmara, Reginaldo Henrique dos Santos (Dr. Reginaldo PCdoB), quando ele teria dado algumas declarações polêmicas, inclusive contra outros vereadores e membros do Executivo. A direção da rádio teria pedido aos apresentadores do programa que assinassem um termo de responsabilidade, para se eximir.
O radialista Eduardo Batista contou na época que alguns vereadores foram fazer algum tipo de pressão na rádio e a direção queria que os apresentadores assinassem um termo de responsabilidade, sendo os responsáveis por tudo que falam.
O diretor da rádio, Denison Lemos Leão, explicou que se tratava de problemas internos e até que a situação fosse resolvida, decidiu suspender o programa por tempo indeterminado. Mas durou pouco a suspensão, pois a transmissão voltou normalmente na segunda-feira da semana seguinte (31 de agosto de 2009), ou seja, ficou apenas um dia fora do ar.

Comentários
COMPATILHAR: