As operadoras de planos de saúde querem que o reajuste anual de 2008, que será definido em maio pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), já reflita o aumento de custos causado pela entrada em vigor do novo rol de procedimentos, no dia 2 de abril. A ANS, por meio de sua assessoria, descartou essa possibilidade, reafirmando que qualquer repasse do impacto de implementação do novo rol ao consumidor só acontecerá em 2009.

Segundo a Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), entidade que representa as operadoras de planos de saúde suplementar, estudos internos das empresas estimam que o aumento de custo deve ser de 6% a 10%. Há uma dificuldade de estimar o impacto exato, mas não há dúvida de que haverá um aumento de custo, disse a diretora da Fenasaúde, Solange Beatriz Ramos. Segundo ela, as operadoras temem que haja uma corrida desenfreada pelos novos procedimentos – especialmente os de planejamento familiar – assim que o rol entre em vigor.

Comentários