Três vacas e um boi que fugiram de um caminhão tumultuaram o trânsito nesta terça-feira (23) à tarde na avenida Amazonas, na altura do bairro Gameleira, na região Oeste da capital. Um dos animais, que andou por quase 3 km pela via – entre o Anel Rodoviário, no bairro Industrial, e o Parque de Exposições da Gameleira – foi abatido por militares.
Testemunhas contaram que o boi, assustado com o trânsito intenso, chegou a ferir com uma chifrada a aposentada Maria Cruzelina Costa Aguiar, 84, que passava pelo local. Desorientado, o animal ainda avançou sobre alguns veículos. Tivemos que abatê-lo, pois o animal estava muito arredio e nervoso e colocava a vida das pessoas em risco, explicou o tenente André Carvalho. Cinco policiais participaram da tentativa frustrada de controlar o bicho. Antes de ser golpeado na cabeça com cassetetes, o boi foi alvejado cinco vezes.
Uma multidão, impressionada com a cena, assistiu à confusão. O bichinho estava morrendo de medo, disse a copeira Adriana Rocha, 44.
O Hospital de Pronto-Socorro João XXIII informou que o estado de saúde da aposentada ferida era estável.
As vacas foram capturadas perto do local de onde fugiram. Uma delas chegou a entrar no pátio de uma fábrica de laticínios. Segundo o motorista do caminhão, ao frear bruscamente o veículo no Anel Rodoviário, próximo à Amazonas, a portinhola traseira se abriu e os animais escaparam.
Defensora de animais condena ação da polícia
A ação da Polícia Militar, que acabou com a morte do boi, foi considerada uma crueldade pela representante da ONG Animais Urbanos e integrante da Sociedade Mineira Protetora dos Animais, Eulália Jordá-Poblet.
Ela disse que a polícia deveria ter tentado conter o animal antes de atirar e agredi-lo com pauladas. Segundo Eulália, bois e vacas são animais tranquilos e o que saiu em disparada deveria estar agitado por causa de algum ferimento.
A defensora acredita que os policiais não são treinados para agir em situações como essa. Eles tinham que ter parado o trânsito, cercado o animal e depois o levado para algum lugar seguro,disse. Segundo a defensora, falta à polícia equipamentos para abordar e remover animais nessas condições.
Outros casos
BR?040. Em janeiro do ano passado, uma vaca foi executada na altura do KM 514 da BR?040, na região metropolitana da capital. O animal ficou solto na pista após um acidente entre um caminhão e uma moto. Um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) descarregou a arma.
Vitrine
Em maio último, depois de um acidente com o caminhão, um boi fugiu até o centro comercial de São José do Rio Preto (SP) e causou tumulto ao invadir uma loja e ficar preso na vitrine. O trânsito teve de ser interrompido para que o animal não se assustasse. O boi foi apreendido.

Comentários